Folha de S.Paulo

Veja 10 dicas para deixar a umidade (e o mofo) fora de casa


Fungos, mofos, paredes estufadas e manchas. A umidade é um problema comum em casas e apartamentos e, além de deixar o ambiente com uma aparência desagradável, traz prejuízos à saúde dos moradores, como dores de cabeça e crises alérgicas.

"Entre outros fatores, superfícies porosas tendem a apresentar umidade e favorecer esse tipo de problema, que nem sempre é visível a olho nu", explica Felipe Comelatto, técnico em produtos da empresa Futura Tintas.

Confira dez dicas para evitar umidade no imóvel.

1. MANUTENÇÃO DAS CALHAS: grande parte dos casos de umidade, principalmente em áreas externas de casas, acontece por calhas que transbordam. Confira periodicamente se os dutos estão livres de sujeiras e permitem a passagem da água com facilidade.

2. DE OLHO NAS TELHAS: telhas quebradas geram vazamentos para laje e forros que, além da umidade, podem afetar a parte elétrica da casa. É importante verificar a situação do telhado, mas lembre-se: nunca mexa nelas quando estiverem úmidas, pois o risco de quebrá-las é ainda maior.

3. AMBIENTES AREJADOS: abrir portas, janelas e armários é importante para propiciar a circulação de ar, evitando a formação de focos de mofo e umidade.

4. SECANDO A ROUPA: se for necessário secar a roupa dentro de casa (principalmente no caso de apartamentos), escolha o cômodo mais fresco, de preferência que tenha uma janela perto.

5. EXAUSTORES: exaustores nos banheiros e na cozinha ajudam a melhorar a ventilação nessas áreas molhadas.

6. CARVÃO COMO ALIADO: se possível, coloque pequenos pedaços de carvão nos cômodos da casa que são utilizados apenas como pequenos depósitos, porque o mineral ajuda a absorver a umidade.

7. PAREDES TEXTURIZADAS: uma alternativa é utilizar texturas que, além de protegerem as paredes, conferem um acabamento decorativo. As texturas ajudam a proteger a superfície porque sua fórmula apresenta hidrorrepelência, que impede que líquidos penetrem na parede. No caso das infiltrações, o uso de impermeabilizantes na superfície também pode ajudar.

8. EM TEMPOS DE CALOR: não se esqueça da manutenção de aparelhos de refrigeração, como ventiladores, climatizadores e ares-condicionados.

Climatizador
Ele aumenta a umidade do ambiente, o que pode ser desvantajoso, porque se ela chegar a 60% ou 70% pode estimular o crescimento de ácaros.

Ar-condicionado
Como ele não umidifica o ambiente, ajuda a controlar a presença de ácaros. Alguns modelos tratam o ar, agindo sobre os microrganismos (bactérias, fungos e vírus) não somente do ambiente, como também eliminando a maioria destes que passam por seus filtros. A manutenção e limpeza do aparelho, através da lavagem do filtro, é relativamente fácil, embora requeira, periodicamente, uma limpeza profissional mais profunda.

Ventilador
Necessita de limpeza periódica das pás, com separação das peças, para não espalhar poeira.

9. ROUPA DE CAMA: em um travesseiro de dois anos, cerca de 20% de seu peso é formado por ácaros vivos, ácaros mortos e fezes de ácaros. Por isso, devem ser trocados. O colchão deve ser substituído a cada sete anos. Tanto para travesseiros como para colchões, use protetores impermeáveis internamente e de algodão externamente. Roupas de cama devem ser trocadas a cada três a quatro dias. Importante: não arrume a cama logo ao acordar, aguarde por pelo menos uma hora para secar o suor e evitar a presença de ácaros.

10. SE A UMIDADE APARECER: a primeira atitude a ser tomada deve ser a retirada das partes mofadas. Para isso, utilize uma solução de água potável com água sanitária, na mesma proporção. É muito importante limpar bem o local afetado e, principalmente, todos os focos de mofo para que o fungo não retorne.

Fontes: Felipe Comelatto e Microbiotécnica