Folha de S.Paulo

Tá frio! Veja dicas de como passar o inverno sem pele seca, com a casa quentinha e até com uns quilinhos a menos


Os meses mais frios do ano são um prato cheio para os problemas de pele, as doenças respiratórias e para enfiar o pé na jaca na hora de comer –culpa do nosso organismo, que pede mais calorias para manter o corpo aquecido.

Mas, com alguns cuidados, dá para passar incólume pelo inverno e até aproveitar suas vantagens. Com o metabolismo mais acelerado para compensar o gasto energético, essa é a melhor hora de emagrecer.

É possível também deixar a casa quentinha e aconchegante –quer época melhor para fazer maratonas de séries?– e achar jeitos de não deixar o sexo hibernar. Deixe a vitamina C de lado e veja as dicas nesta página.

Para evitar o ressecamento da pele, o melhor é usar óleo ou hidratante? Ambos, segundo o dermatologista Davi de Lacerda. O objetivo dos dois é criar uma barreira para que a pele não perca água. Mas uma dica: se quiser fugir do creme geladinho pós-banho, use o óleo durante a ducha. Também é bom evitar banhos muito quentes e ensaboar demais a pele para não perder a gordura natural dela.

Contra a pele rachada que pode até sangrar, vale usar tanto a baratinha manteiga de cacau como o protetor labial importado. Vaselina pura também ajuda a proteger os lábios contra as fissuras. Aí depende de gosto –do próprio produto, inclusive. O que piora mesmo é arrancar a pelinha extra ou passar a língua sobre os machucados. A saliva tem enzimas que desgastam essa camada protetora da pele.

Nas casas brasileiras, aquecedor é item raro. Por isso, cortinas de tecidos encorpados, tapetes fofinhos e mantas e almofadas no sofá já deixam a casa mais quentinha e confortável. Tecidos como veludo também. Na cama, use lençóis térmicos –para economizar energia, deixe-os ligados apenas até a hora de dormir– e lave os edredons guardados. Mas, mesmo com o vento frio da estação, é importante não deixar a casa toda fechada. "Modificar o ar que circula ajuda a evitar doenças, como viroses respiratórias", afirma Fernanda Miranda, pneumologista da SBPT (Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia).

Tomar vitamina C para prevenir resfriado não tem fundamento científico: a chance de ficar doente não é alterada, concluíram cientistas da Austrália ao analisarem 29 estudos. Só se beneficiaram pessoas expostas por um curto período a um frio violento ou praticantes de exercício muito intenso. Por outro lado, os riscos das megadoses incluem diarreia, náusea, dor de cabeça e pedras nos rins.

Se quiser usar um aquecedor para deixar o quarto mais quentinho, aceite o fato de que esse conforto traz como dano colateral o ressecamento do ar. Os modelos que usam óleo, porém, podem causar menos danos, segundo Richard Voegels, professor associado da USP de otorrinolaringologia. Para compensar, lave o nariz com soro e coloque um vaporizador no quarto, de preferência perto da cama e num lugar alto.

O frio pode não ser muito convidativo para tirar a roupa, mas dá para pensar em formas de não deixar a sensualidade hibernando. "É possível brincar. A mulher pode vestir uma meia sete oitavos, agasalhar só a parte de cima do corpo e vestir um sobretudo", diz a sexóloga Lelah Monteiro. A psicóloga Tatiana Presser sugere que o casal use pijamas mais colados e faça massagens com óleo ou creme aquecidos.
É possível que no inverno é possível que algumas pessoas, especialmente mulheres, tenham uma redução da libido, explica a ginecologista Carla Iaconelli. Por isso, "é importante criar o ambiente de aconchego e não deixar a peteca cair –sexo faz parte da saúde integral das pessoas".

No inverno, gripe e pneumonia ganham força por causa da aglomeração de pessoas em ambientes poucos ventilados e do efeito do frio no sistema respiratório, que perde eficácia no combate às infecções. Além da gripe, pneumonia, catapora, coqueluche e meningite podem ser prevenidas com vacinas, diz José Geraldo Ribeiro, da Associação Brasileira de Clínicas de Vacinas. Cardíacos, asmáticos e quem tem enfisema pulmonar devem tomar cuidados extra. Durante a exposição ao frio, o corpo tenta manter a temperatura de sua região central central na casa dos 37ºC. Para isso, a parte mais periférica, como a pele, perde irrigação sanguínea e se esfria. O coração também acelera e, por conta disso, podem ocorrer eventos de arritmia cardíaca, muitas vezes fatais, diz o médico Antonio Carlos Lopes.

Como há risco de a imunidade baixar, é preciso ficar atento às vacinas dos animais, diz Josélio Moura, presidente da SBMV (Sociedade Brasileira de Medicina Veterinária). Também é bom ter mais cuidado com a higienização dos pelos, que caem mais nesta época, para evitar o acúmulo de ácaros ou outros micro-oganismos que podem provocar alergia. E, assim como os humanos, eles sentirão mais fome e vontade de alimentos calóricos. Cuidado com os exageros.

Nessa época, o organismo costuma pedir por alimentos mais energéticos, ou seja, com alto potencial de provocar ganho de peso. Para escapar da armadilha, a nutricionista Rosana Perim Costa, do HCor, sugere evitar o consumo de sopas que contêm creme de leite ou queijo e preferir aquelas com os legumes cozidos em pedaços. Outra dica, da nutricionista Adriana Pantaleão, da Clínica Nutrêz, é tentar não deixar de lado a salada, mas apostar em legumes cozidos. "Podemos também apostar em alimentos temperos e termogênicos, como hibisco, canela, pimenta e gengibre, que dão a sensação de saciedade e não contêm calorias".

Nessa época, o organismo está naturalmente propenso a gastar mais energia para manter a temperatura corporal em cerca de 37°C. Se a vontade de ingerir calorias for adequadamente controlada, é a hora certa para começar o famoso "projeto verão". Aulas em grupo podem oferecer um quê de motivação para sair debaixo das cobertas, segundo o personal trainer Rodrigo Sangion, da Les Cinq Gym. Para quem pratica exercícios ao ar livre, o importante é estar agasalhado para reduzir a chance de o ar frio provocar problemas respiratórios.