Folha de S.Paulo

As melhores formas para enfrentar os dias secos


Com mais um dia de tempo seco na cidade de São Paulo –o 44º sem chuva–, em parte do Estado e em algumas regiões do país, algumas dicas podem ser úteis para respirar melhor e evitar problemas de saúde.

Segundo o CGE (Centro de Gerenciamento de Emergência), o "tempo seco e estável garante mais um dia sem precipitação e tarde com baixos índices de umidade do ar" em São Paulo. Nesta quinta (27), contudo, o órgão afirma que a umidade não deve ficar abaixo dos 30%, o que deixaria a cidade em estado de atenção.

A situação não deve sofrer grandes alterações nos próximos dias.

A baixa umidade do ar pode desencadear ou agravar problemas alérgicos e respiratórios, pele seca, olhos irritados e sangramento no nariz.

Para enfrentar esses problemas, algumas dicas são indispensáveis:

A sempre presente dica de beber muita água continua válida aqui. No mínimo, deve-se tomar 1,5 litro do líquido, mas o ideal são dois litros durante o dia.

Exercícios são essenciais para manter a saúde em dia, mas alguns cuidados adicionais na prática esportiva se fazem necessários quando o tempo está muito seco. Segundo Fernanda Miranda, pneumologista da SBPT (Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia), é importante evitar exercícios ao ar livre entre 10h e 16h em dias que a umidade do ar estiver inferior a 30%.

Para manter a pele hidratada, óleos e hidratantes podem ser aliados. Glaysson Tassara, da Sociedade Brasileira de Dermatologia, dá a dica de aplicar hidratantes logo após o banho, quando ainda há no banheiro aquele vaporzinho, que ajuda na penetração dos cremes na pele. Mesmo esse vapor sendo interessante para a aplicação do hidratante, deve-se evitar banhos muito quentes, para que a pele não fique ressecada. Para pessoas com dermatite, pode ser uma boa ideia reduzir o uso de sabonetes pelo corpo, segundo Tassara.

O soro fisiológico é uma boa alternativa para respirar melhor e hidratar as partes internas do nariz. O nariz fica irritado por não conseguir umidificar o ar seco inspirado. A pneumologista Miranda indica o uso de três a quatro vezes ao dia, com dois jatos em cada narina.

Prestar atenção em quantas vezes se pisca pode auxiliar na proteção dos olhos em dias secos. Segundo Luiz Carlos Portes, consultor da Sociedade Brasileira de Oftalmologia, o normal é piscar entre dez e 12 vezes por minuto, o que pode ser alterado –e prejudicar a lubrificação dos olhos– caso a pessoa passe muito tempo lendo ou em frente a telas de aparelhos eletrônicos. O ressecamento pode ser ainda intensificado pelo uso de lentes de contato e em ambientes com ventilador e ar-condicionado. Na rua, a dica é utilizar óculos escuros como barreira de proteção para os olhos. Se, mesmo com esses cuidados, o ressecamento persistir, lágrimas artificiais podem ser usadas.

Com o tempo seco aumenta também a preocupação com aglomerações de pessoas em locais como ônibus e metrôs. Considerando que é muito difícil evitar essas situações, torna-se importante manter uma boa higiene das mãos, mas evitando o uso excessivo de sabão, para não ressecar a pele.

O uso de umidificadores de ar para locais fechados também pode ajudar. Contudo, Miranda alerta que é importante manter o aparelho limpo –para evitar a proliferação de fungos– e não colocar o rosto em contato direto com o vapor produzido, para evitar a inalação de possíveis impurezas.

Mesmo com o tempo seco, o frio continua presente em alguns momentos do dia. É importante não usar edredons e cobertores guardados e sem lavar há muito tempo.