Folha de S.Paulo

Redondamente enganados: por que a ideia da Terra plana não faz sentido


O formato verdadeiro da Terra lembra o de uma gigantesca pizza coberta por uma redoma invisível, e não o de um globo girando pelo espaço. Fotos supostamente tiradas por satélites ou astronautas que mostrariam nosso planeta como uma esfera girando pelo espaço não passam de fraudes da Nasa. Até a lei da gravidade é um grande engodo, fruto de uma conspiração da "elite globalista" (sem trocadilho).

Se você acha que as afirmações acima não passam de bobagens medievais, saiba que está sendo muito injusto com a Idade Média –praticamente todas as pessoas instruídas daquela época já sabiam que a Terra era redonda.

Por outro lado, gente munida de acesso às redes sociais e às plataformas de vídeo do século 21 resolveu discordar. Na internet, as comunidades terraplanistas –ou seja, de adeptos do chamado "modelo da Terra plana"– andam se multiplicando numa velocidade superior à de cogumelos em esterco úmido, para desespero de astrônomos e geólogos que se perguntam onde foi que eles erraram.

"A reação é responder aos absurdos, mas o que eles querem é ibope. Esse é o problema", diz o geofísico Sérgio Sacani, doutor pela Unicamp que produz o canal de astronomia SpaceToday no YouTube.

Embora tenham se tornado mais barulhentos nesta década, os movimentos terraplanistas modernos existem desde os anos 1950 e frequentemente estão ligados a interpretações fundamentalistas da Bíblia.

Em um dos relatos do Gênesis, a imagem da Terra é a de uma espécie de enorme planície cercada pelas águas do oceano e coberta pelo firmamento, que segura as águas da chuva. É um modelo mítico comum a vários povos do antigo Oriente Médio, que os autores israelitas do Gênesis provavelmente adotaram por influência da Mesopotâmia (atual Iraque).

De lá para cá, porém, muita água rolou por baixo dessa ponte (sem cair da suposta borda da Terra plana).

O astrônomo Gustavo Rojas, da Ufscar e da Sociedade Astronômica Brasileira, lembra que algumas observações bem conhecidas desde a Grécia antiga já indicavam a esfericidade da Terra.

"Quando você vê um navio se afastando no horizonte, por exemplo, a primeira coisa a desaparecer é o casco, e a última é a ponta do mastro, o que aponta para a curvatura da Terra", explica.

Os antigos gregos também já conheciam bastante da mecânica dos eclipses lunares, nos quais a sombra do nosso planeta faz a Lua escurecer –uma sombra que, veja você, é redonda e só poderia ser projetada por um globo terrestre.

Mesmo que o sujeito diga que fotos da Nasa são fraudes (no caso, as agências espaciais russa, europeia, chinesa e japonesa também estariam compradas pela conspiração), Rojas lembra que quem faz voos longos, ou mesmo quem escala montanhas que tenham um desnível considerável em relação às áreas circundantes, é capaz de perceber sutilmente a curvatura do planeta.

O fato de existir a força da gravidade no Universo, significa que "qualquer coisa no Universo que tenha o tamanho da Terra –pode ser cúbico, cilíndrico, o que for– vai acabar assumindo a forma esférica", diz Rojas

Sacani, que tem experiência na medição de ondas sísmicas –provocadas por terremotos, por exemplo–, destaca que esses procedimentos só funcionam por causa, é claro, do formato aproximadamente esférico da Terra.

"A maneira como as ondas se propagam de um terremoto em um lugar e são medidas em outro só podem ser interpretadas tendo em conta a estrutura tridimensional do planeta e suas diferentes camadas, da crosta até o núcleo. Essa concepção na Terra plana não existe."

Nada disso parece ser capaz de abalar canais terraplanistas do YouTube, como o "100 Hipocrisia", no qual a gravidade é execrada como "força imaginária, a deusa globalista gravidade".

"Tiramos a pessoa da bola molhada giratória, mas não conseguimos tirar a bola molhada giratória da pessoa", lamenta um dos vídeos ao criticar terraplanistas que ainda acreditam na gravidade.

Outro vídeo aponta que até a ONU tem um mapa plano da Terra em seu logotipo (talvez se esperasse que funcionários das Nações Unidas andassem por aí com globinhos infláveis na lapela).

Já o canal "ServoJoel" atribui a preponderância da "mentira da Terra esférica" a, obviamente, a influência de Satanás sobre a elite mundial.

"Sabe aquela expressão de que uma ideia é 'not even wrong', nem mesmo errada? Esse é um caso clássico. Para estar errada, a ideia da Terra plana ainda precisa melhorar muito", sentencia Rojas.