Folha de S.Paulo

Prestação de contas de projeto de José de Abreu é reprovada na Lei Rouanet


O Ministério da Cultura (MinC) reprovou a prestação de contas de um projeto do ator José de Abreu e determinou a devolução de R$ 127 mil dos R$ 299 mil que haviam sido captados pela Lei Rouanet.

O projeto já havia tido a prestação de contas reprovada em novembro de 2016. Em abril deste ano, após recurso, o Ministério voltou atrás e aprovou as contas. A autoria do projeto —uma turnê de um espetáculo do ator em 2005— é de Camila Paola Mosquella, sua ex-mulher.

Após a aprovação, deputado Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ) solicitou explicações do MinC. Ele afirma que encontrou notas "frias" na prestação de contas e que detectou erros em nove pontos, que informou ao Ministério.

O deputado diz que havia notas fiscais de estabelecimentos diferentes, mas preenchidas com a mesma caligrafia, e que um assessor foi aos endereços de algumas das empresas e encontrou "lojas abandonadas há muitos anos".

Em fevereiro de 2016, José de Abreu havia afirmado que a CPI da Lei Rouanet serviria para "desmoralizar o mito" de que o mecanismo é "uma espécie de bolsa-família para artistas".

Até o fechamento dessa matéria, a coluna não conseguiu contato com o ator.