Folha de S.Paulo

Beleza no mundo da cerveja também não é tudo, mas pode ser fundamental


Beleza no mundo da cerveja também não é tudo, mas pode ser fundamental. Com os irmãos José Felipe e Tiago Carneiro, a mineira Wäls entendeu isso desde o princípio e sempre se destacou com suas garrafas arrolhadas —além da qualidade do líquido, com suas Dubbel e Trippel, no melhor estilo das cervejas belgas de abadia.

E quem achou que a marca poderia se acomodar após a venda para a poderosa Ambev, se enganou. Depois de um período mineiramente na surdina, a Wäls inaugurou em junho um espaço para os fãs de cerveja, o Ateliê Wäls, localizado em Olhos d'Água, bairro da capital mineira.

Os irmãos Carneiro conceberam um local que se destaca pela arquitetura e pelo cuidado na concepção de cervejas. "O projeto não seria possível sem a Ambev", confessa Tiago, que afirma que "a cerveja que fazemos hoje é infinitamente melhor do que a de antes [da venda à Ambev]".

São 21 torneiras, com cervejas que podem ser envelhecidas em 12 diferentes tipos de barris que dão personalidade à bebida. Entre as sugestões, a double IPA George Little King ou a robusta imperial stout Gateau Imperial.

Um bate e volta para conhecer o Ateliê é recomendável, mas o bar Câmara Fria, "embaixada" da Wäls em Moema, traz cervejas fresquinhas do Ateliê. Vale a visita.

Festival
De quarta (26) a sábado (29), o Degusta Beer reúne, no São Paulo Expo, mais de 600 rótulos de cervejarias como Jupiter e Coruja. Veja mais em degustabeerandfood.com.br.

WALKERIANA
Rótulo da Wäls que faz homenagem a Inhotim, essa saison de cor alaranjada é refrescante, de corpo médio, baixo amargor e leve dulçor
Teor alcoólico 6,4%; R$ 29 (375 ml), no Câmara Fria (tel. 5093-9486)

WÄLS BRUT
Complexa, feita no método champenoise, o mesmo da champanhe —por isso, lembra a bebida na aparência (com bolhas). Tome na taça flute
Teor alcoólico 12 %; R$ 215 (750 ml), no Empório Alto dos Pinheiros (tel. 3031-4328)

A coluna "Cervejas" é publicada aos domingos a cada 15 dias na revista sãopaulo