Folha de S.Paulo

Ônibus


O transportes público rodoviário da capital paulista transporta diariamente em torno de 6 milhões de pessoas, segundo estimativa da SPTrans. Para atender essa quantidade de passageiros existem atualmente 16 consórcios, formados por empresas e cooperativas, responsáveis pela operação de 15 mil veículos em mais de 1.300 linhas.

Para facilitar a organização das linhas, a cidade foi loteada em oito áreas, cada qual com uma cor diferente e operada por um consórcio e uma cooperativa, e os veículos seguem o mesmo padrão de cores, de acordo com o Manual de Identidade Visual.

As linhas seguem dois formados diferentes:

1. o subsistema estrutural é formado por veículos de médio e grande porte (articulados, biarticulados e comuns), destinadas a atender altas demandas e integrar diversas regiões às áreas centrais da cidade. É a espinha dorsal do transporte coletivo.

2. o subsistema local por sua vez alimenta a malha estrutural e atende aos deslocamentos internos nos subcentros com linhas operadas por ônibus comuns e veículos de menor porte, como micro e mini-ônibus.

TARIFAS DE ÔNIBUS

A tarifa de ônibus corresponde atualmente a R$ 3. O valor permanece o mesmo desde janeiro de 2011, com exceção de 22 dias de junho de 2013, quando o valor foi de R$ 3,20. A tarifa retornou para o valor anterior após uma série de protestos que atingiu São Paulo e muitas outras cidades do país.

A passagem, que era cobrada dentro dos veículos, passou a ser creditada nos cartões que ganharam o nome de Bilhete Único em 2001. A utilização do cartão começou em forma de testes, voltado inicialmente aos idosos. O serviço foi estendido aos usuários comuns, vale-transporte e escolar em 2003.

Cumprindo a ideia inicial, o Bilhete Único passou a fazer a integração com o transporte ferroviário –que é de responsabilidade do governo estadual– apenas em 2006. Já a ampliação do tempo de integração para 3 horas e quatro viagens, como é hoje, aconteceu em 2008.

PONTOS E TERMINAIS

Terminais são áreas onde as linhas têm seu ponto de chegada ou de partida. Em São Paulo são 28 terminais municipais e um intermunicipal. Todos têm estrutura para atender aos passageiros, com quiosques de diversos serviços, caixas eletrônicos e posto de atendimento para solicitação, recarga ou aquisição do cartão Bilhete Único.

Já as paradas de ônibus são aproximadamente 19 mil na cidade. Elas são demarcadas por um totem ou cobertura e estão distribuídas pela cidade. Nestes locais, os motoristas de ônibus e microônibus param o veículo por meio de sinalização do passageiro, para permitir o embarque ou desembarque.