Folha de S.Paulo

Brasil tem pelo menos 83 facções em presídios, aponta agência alemã


O Depen (Departamento Penitenciário Nacional) afirma não ter dados oficiais e recentes sobre as facções criminosas no Brasil, suas origens, áreas de influência e operação.

Especialistas em segurança pública e violência urbana no Brasil, no entanto, acreditam que pode haver no país cerca de 30 organizações criminosas mais poderosas com atuação dentro e fora dos presídios. Para a coordenação nacional da Pastoral Carcerária, esse número é subestimado.

A DW Brasil levantou as facções citadas em relatórios de CPIs (comissões parlamentares de inquérito) e em mapeamentos mais recentes divulgados por estudiosos do tema, com base em cruzamentos de dados dos serviços de inteligência da Polícia Federal e secretarias de segurança pública estaduais.

De acordo com esses dados, há pelo menos 83 organizações de presos no Brasil, a maioria com atuação estadual e local. Apenas o PCC (Primeiro Comando da Capital), que teve origem em São Paulo, tem atuação em todas as 27 unidades da federação. O Comando Vermelho, primeira grande facção criminosa a surgir no Brasil, atua, além do Rio de Janeiro, de onde é originário, em outros 14 Estados.

Agentes da Pastoral Carcerária afirmam que o número de facções é subestimado pelas autoridades governamentais sobretudo porque muitas delas têm vida curta, surgem e desaparecem ao longo de meses ou até mesmo semanas. Além disso, muitos desses grupos não necessariamente se organizam para a promoção de crimes.

Por conhecerem de perto a vida e a dinâmica nos presídios, os agentes da Pastoral afirmam ainda que nem todas as facções possuem ligação direta com o tráfico de drogas. Há, por exemplo, organizações dos presos feitas com base apenas em preceitos religiosos, como a Seita Satânica, na Paraíba.

Muitas facções usam siglas de identificação. Nem todas possuem uma hierarquia organizada, e muitas são passageiras, pequenas e desorganizadas. Estas são as conhecidas:

1) PCC – Primeiro Comando da Capital

É considerada uma das mais fortes e organizadas facções criminosas do país. Estudiosos afirmam que ela teria surgido em 1993, dentro do presídio de Taubaté, em São Paulo, com estatuto e organização hierárquica. O objetivo central do PCC, inicialmente, era contestar o tratamento dado aos presos e exigir melhores condições no sistema carcerário.

Com o tempo, o PCC passou a atuar no tráfico de drogas e a desempenhar ações criminosas dentro e fora das prisões. Em 2006, a facção amedrontou o Estado de São Paulo e paralisou a maior cidade do país, com ataques em unidades prisionais e fora delas, atingindo centenas de civis. Hoje, o PCC opera em rotas internacionais do tráfico e teria atuação em todas as 27 unidades da federação.

2) CV – Comando Vermelho

Surgiu em 1979, no presídio da Ilha Grande (RJ). De acordo com o ex-secretário de Segurança do Rio José Mariano Beltrame, é uma facção totalmente desorganizada, extremamente violenta e bélica. Organizações e estudiosos do sistema carcerário afirmam que o CV e o PCC fizeram, nos últimos anos, uma aliança tácita que teria acalmado a tensão dentro dos presídios.

Porém, esse "acordo de cavalheiros" foi rompido nos últimos dois anos. Não se sabe ao certo a razão do rompimento, mas ele foi detectado por serviços de inteligências nos Estados onde as facções atuam, e as autoridades já sabiam da existência deste foco de tensão há meses.

Com forte atuação, além do Rio, em Roraima, Rondônia, Acre, Pará, Amapá, Tocantins, Maranhão, Ceará, Bahia, Espírito Santo, Santa Catarina, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso do Norte e Distrito Federal.

Facção é mais recente e teria se organizado em presídios do Norte. Aproximou-se do Comando Vermelho e seria, em tese, rival do PCC. A Família do Norte é uma facção que estaria ligada às últimas rebeliões em Manaus, Roraima e Rio Grande do Norte. Atua nos seguintes Estados: Amazonas, Roraima, Pará.

Outras facções e grupos organizados de presos e os Estados onde atuam:

4) TCC – Terceiro Comando da Capital (SP, RJ)

5) CRBC – Comando Revolucionário Brasileiro da Criminalidade (SP)

6) CDL – Comando Democrático da Liberdade (SP)

8) PCMS – Primeiro Comando do Mato Grosso do Sul (MS, ligada ao PCC)

10) TC – Terceiro Comando (RJ, BA)

11) ADA – Amigos dos Amigos (RJ, CE, ES)

12) IDI – Inimigos dos inimigos (RJ)

15) Primeiro Comando do Norte (AM, RR, CE)

17) Primeiro Comando da Mariola (RR)

22) Primeiro Comando do Maranhão (MA)

24) Primeiro Grupo do Estreito (MA)

27) COM - Comando Organizado do Maranhão (MA)

29) PCM - Primeiro Comando de Campo Maior (PI)

30) PCE - Primeiro Comando de Esperantina (PI)

31) Facção Criminosa de Teresina (PI)

33) PCN - Primeiro Comando de Natal (RN)

34) SDC - Sindicato do Crime (RN, PB)

39) PCM - Primeiro Comando Metropolitano (SE)

48) Comando Mineiro de Organizações Criminosas (MG)

49) PJL - Paz, Justiça e Liberdade (MG)

51) Primeiro Comando das Minas Gerais (MG)

54) Primeiro Comando de Vitória (ES)

55) CJVC - Comando Jovem Vermelho da Criminalidade (SP)

59) Comissão Democrática da Liberdade (SP)

60) PGC - Primeiro Grupo Catarinense (SC)

61) PCRV - Primeiro Crime Revolucionário Catarinense (SC)

65) PGO - Primeiro Grupo de Oposição (SC)

66) FRC (Força Revolucionária Catarinense)

74) Primeiro Comando do Paraná (PR)

75) Primeiro Comando da Liberdade (MS)

77) PLD - Paz, Liberdade e Direito