Folha de S.Paulo

Mais dois macacos são achados mortos no Rio sob suspeita de febre amarela


Foram encontrados nesta quarta-feira (21) mais dois macacos mortos nas florestas do Estado do Rio de Janeiro.

A Secretaria de Estado de Saúde diz que seus corpos serão examinados para verificar se os animais estavam com febre amarela.

Os dois micos-leões-dourados foram achados à beira da estrada próxima ao município de Silva Jardim, que por sua vez fica perto de Casimiro de Abreu, onde há três casos conformados de febre amarela. Na região há uma reserva biológica que é santuário dos micos-leões dourados.

A Prefeitura de Silva Jardim diz que 15 mil dos cerca de 21 mil habitantes da cidade já foram vacinados.

Em Casimiro de Abreu, 95% já o foi, segundo o governo do Estado. Na capital, cinco macacos foram achados mortos, mas institutos divergem sobre a presença do vírus da febre amarela nos corpos dos animais.

O Instituto Evandro Chagas, no Pará, testou positivo para o vírus. Já a Fiocruz ( Fundação Oswaldo Cruz) testou negativo. O Evandro Chagas, no entanto, é o laboratório de referência do Ministério da Saúde para testes de febre amarela.

O Ministério reconhece que o teste da Fiocruz não é contraprova, porém não se posiciona sobre qual dos dois é mais confiável.

Um dos três pacientes que contraíram a doença teve alta nesta quarta. Ele estava internado na capital desde o fim de semana. Dos outros dois, um morreu e outro teve alta na última sexta-feira (17).