Folha de S.Paulo

Roubos de bicicleta em SP sobem 78% nos primeiros quatro meses do ano


O número de roubos de bicicletas na capital paulista nos primeiros quatro meses deste ano teve um aumento de 77,8% em relação ao mesmo período de 2016. Os dados foram obtidos por meio da Lei de Acesso à Informação.

Entre janeiro e abril deste ano foram registrados 224 roubos, ante 126 no mesmo período de 2016. Em 2015, no primeiro quadrimestre, foram 95.

O número de furtos também teve um crescimento no período. No ano passado, foram 504 casos. Neste ano, 543 –7,7% de aumento.

Segundo os dados, o lugar com maior incidência de furtos e roubos é um corredor de 6 km, entre o Ceagesp e a avenida Pedroso de Morais, em Pinheiros (zona oeste de SP). Foram registrados 50 casos na região –21% do total.

Nesta área fica a ciclovia da marginal Pinheiros. "Esse é um dos piores pontos. Quem está sozinho geralmente espera chegar mais gente para atravessar por lá em grupo", diz Willian Cruz, 43, cicloativista e jornalista.

Para a Polícia Civil, a alta tem relação com a maior quantidade de ciclistas nas ruas. "Quanto mais bicicletas na rua, mais casos", afirma Roberto Zakovic, delegado do 14º DP (Pinheiros).

No dia 8 de fevereiro, a polícia apreendeu cinco menores por furto de bicicletas na região onde ocorre a maior quantidade de roubos. Mas, dos 50 casos nesta área, 32 ocorreram após a apreensão.

A Secretaria da Segurança Pública, do governo Geraldo Alckmin (PSDB), diz adotar medidas para combater os roubos e furtos de bicicletas.

"Foi criado um grupo de trabalho composto por autoridades e cicloativistas, instituído justamente com objetivo de desenvolver estratégias de prevenção", afirma.

A pasta também diz que desde janeiro o ciclista pode registrar a bicicleta no site ssp.sp.gov.br/consultabicicleta. Isso ajuda o policial em patrulhamento a verificar se a bicicleta é roubada.

A polícia prendeu em flagrante, na tarde de quinta (25), um homem de 32 anos acusado de furto e receptação de bicicletas de luxo, que haviam sido furtadas na região do Brooklin (zona sul).

Na casa do acusado, na Vila Brasilândia (zona norte), foram encontradas cinco bicicletas, seis capacetes e um aparelho celular, material que havia sido furtado.

Segundo a investigação, as bicicletas roubadas, avaliadas em até R$ 20 mil, eram vendidas em lojas de rua.

Segundo nota da secretaria, "ao menos 16 outros casos de furtos, roubos e receptação foram solucionados nas regiões de Pinheiros, Perdizes e Jaguaré neste ano, com a recuperação de bicicletas".