Folha de S.Paulo

Bairro rural de MT terá 1ª biblioteca após adolescente juntar 6 mil livros


No quintal de uma casa na zona rural de Mato Grosso, o estudante Jefferson Gabriel da Silva, 14, guarda 6.000 livros que em breve vão se tornar a primeira biblioteca da região.

O acervo, reunido com doações nos últimos dois anos, ficam em caixas e sacolas do lado de fora da casa onde ele mora com a mãe e uma irmã, no distrito rural de Bonsucesso, município de Várzea Grande (região metropolitana de Cuiabá).

O projeto começou quando Jefferson precisou fazer uma pesquisa para um trabalho da escola pública onde estudava. Sem computador, não encontrou livros para auxiliá-lo, já que não havia bibliotecas no distrito.

O garoto, então, criou meios para facilitar o acesso dos vizinhos a cultura. "No começo, ele pedia livros para todos e, quando conseguia, carregava tudo na bicicleta", lembra mãe do jovem, a recepcionista Janice Ferreira, 41.

As doações de livros tiveram início em meados de 2015, feitas por vizinhos e até moradores de outras cidades que ficaram sabendo da iniciativa.

Diante da quantidade de doações, a avó do estudante permitiu que ele construísse a biblioteca em um terreno dela, situado em frente à residência do jovem. Para isso, começou a receber doações para o projeto. A primeira foi uma surpresa, durante um evento ao qual foi convidado.

"Disseram que havia um presente pra mim e quando vi, estava em frente à Xuxa. Foi emocionante e ela ainda doou R$ 5.000." Na data, ele ainda ganhou um projeto arquitetônico para a biblioteca. Meses depois, Jefferson recebeu mais R$ 5.000 do Bope (Batalhão de Operações Especiais) de MT, arrecadados em um evento do grupo.

O governo de Mato Grosso também entrou no projeto com a doação de equipamentos, como estantes para os livros, que serão entregues quando a obra estiver pronta. A secretaria de Justiça e Direitos Humanos permitiu ainda que presos servissem como mão de obra na construção. A estrutura inicial da biblioteca foi concluída em dezembro passado, mas faltam recursos para colocar o lugar em funcionamento.

"Está praticamente erguido, mas ainda faltam cerca de R$ 20 mil para fazer o telhado e os acabamentos. Não temos condições financeiras para terminar, por isso não há previsão para que a biblioteca fique pronta", diz Jefferson, que busca novos auxílios. Para obter recursos públicos, é preciso regulamentar a situação do espaço, passando o terreno para a biblioteca.

"É triste, porque as pessoas perguntam quando vai ficar pronta. Eu digo que não sei. É complicado saber quando vou conseguir terminar." Para cuidar e selecionar os livros, ele tem a ajuda de duas bibliotecárias voluntárias, já que o novo espaço poderá abrigar apenas 2.500 dos 6.000 livros que ele já tem.

O adolescente cursa o 8º ano do ensino fundamental em uma escola particular de Cuiabá –ele ganhou uma bolsa após o diretor do colégio conhecer o projeto. Em meio à rotina na escola, Jefferson afirma que sempre se depara com a facilidade dos colegas de classe para obter livros.

Nestes momentos, costuma se recordar das dificuldades de sua região. "Quero terminar a biblioteca e fazer com que as crianças e os adultos da minha comunidade também tenham acesso ao conhecimento. Quero atender até pessoas de outros lugares", planeja.