Folha de S.Paulo

Para acesso de pedestres a estação no Brooklin, Doria implanta faixa verde


A Secretaria de Mobilidade e Transportes da gestão João Doria (PSDB) pintou no asfalto duas faixas verdes exclusivas para pedestres, paralelas às calçadas, nos 150 metros da rua Joel Carlos Borges, no Brooklin (zona sul).

É a primeira vez que a gestão Doria pinta faixas verdes na rua para ampliar o espaço destinado aos pedestres. A avenida Liberdade e a rua Galvão Bueno, na Liberdade (região central), já têm faixas verdes, inauguradas na gestão Fernando Haddad (PT). A primeira foi inaugurada em 2015; a segunda, em 2016.

A rua Joel Carlos Borges é um dos principais acessos de pedestres para a estação Berrini, da linha 9-esmeralda da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos). A faixa verde acrescenta cerca de 1,5 metro de cada lado para os pedestres andarem. As calçadas da rua têm aproximadamente a mesma medida de cada lado.

A rua ficou com apenas uma pista para a circulação de veículos, que trafegam agora entre as faixas verdes.
O analista de câmbio Agnaldo Vieira, 42, diz que a faixa verde é importante não só porque o espaço para pedestres era estreito. "Com uma pista só para circular, os motoristas precisam tomar mais cuidado com o limite de velocidade", diz.

A secretaria disse, em nota, que a rua Joel Carlos Borges será a primeira de um projeto chamado Rua Completa, que deverá ser inaugurado oficialmente no próximo domingo. A pintura foi feita no domingo passado (17).

Segundo a nota, a faixa verde será demarcada com postinhos e vasos de plantas. "Também serão instalados bancos, lixeiras, contêiner para a coleta de lixo dos restaurantes, área de carga e descarga para veículos, adequação de sinalização, entre outras melhorias. A velocidade máxima para os veículos será de 20 km/h", afirma.

A secretaria não se manifestou sobre os resultados das faixas verdes criadas durante a gestão Haddad.