Folha de S.Paulo

Jovem é morta a facadas pelo ex em SP após registrar queixas e se mudar


Uma jovem de 20 anos foi morta com ao menos 20 facadas pelo ex-marido, na manhã de domingo (24), na casa de sua avó, em Juquiá (159 km de SP), segundo a polícia. A vítima havia feito quatro boletins de ocorrência contra o acusado, tinha medida protetiva judicial para que ele ficasse longe dela e havia se mudado de cidade com medo das ameaças do ex.

A vítima foi assassinada na frente do filho do casal, de 4 anos, e de sua família. O suspeito foi preso na segunda (25).

Segundo a polícia, o operador de máquinas Luciano Borges da Silva, 37 anos, não aceitava o fim do relacionamento, há três meses, com a operadora de telemarketing Jennifer Moraes Belo. Segundo a família da jovem, as ameaças de Silva começaram há nove meses. De lá para cá, ela já tinha registrado quatro boletins de ocorrência por ameaça e agressão contra o acusado.

Há três meses, Jennifer decidiu se separar: mudou-se de Guarulhos (Grande SP) para uma casa alugada na Praia Grande (71 km de SP) para fugir das ameaças dele, diz a família. Conseguiu, na Justiça, medida protetiva –se o ex-marido se aproximasse dela, poderia ser preso.

No fim de semana, Jennifer foi para a casa dos avós em Juquiá e, de alguma forma, o operador descobriu, diz a polícia. Ele invadiu a residência, deu uma gravata nela e passou a esfaqueá-la no pescoço e no tórax.

Segundo o tio da vítima, o vigilante Fabiano Miguel de Moraes, 38 anos, o operador também esfaqueou no rosto um homem de 57 anos, amigo da família (que tentou ajudar Jennifer). O acusado também empurrou o avô dela, diz."Ele estava totalmente possuído. Foi uma cena de horror", afirmou Moraes. O tio afirma que o operador chegou a ir à porta do cemitério, pois queria matar o próprio filho, mas desistiu.

Segundo a polícia, o suspeito se escondeu em um matagal por um tempo. Foi preso anteontem em um ônibus quando tentava fugir. O acusado confessou, diz a polícia. A reportagem não localizou a defesa dele.