Folha de S.Paulo

USP aprova abertura de medicina no campus de Bauru a partir de 2018


O Conselho Universitário da USP (Universidade de São Paulo) aprovou nesta terça-feira (4) da abertura do curso de medicina no campus de Bauru (a 329 km de São Paulo) já para o vestibular de 2018.

Segundo a reitoria da universidade, o curso será vinculado à FOB (Faculdade de Odontologia de Bauru) e contará, inicialmente, com 60 vagas, sendo 42 definidas pela Fuvest e 18 pelo Sisu.

Esse será o terceiro curso de medicina oferecido pela USP. Os outros dois já funcionam na região do Pacaembu, na zona oeste da capital paulista, e em Ribeirão Preto (a 313 km de São Paulo).

Também foi aprovado nesta terça a criação do curso de biotecnologia na USP Leste. A reitoria, no entanto, ainda não deu detalhes de como ele será implantado.

A reunião do Conselho teve início às 14h e ainda estava em andamento por volta das 19h30. Além da abertura dos novos cursos, ela também deve decidir se aprova um sistema de cotas para alunos de escola pública.

A proposta de cotas da reitoria passou em várias outras instâncias, com parecer positivo. A definição de cotas para pretos, pardos e indígenas, no entanto, deve ficar fora das novas regras.

Quase 300 professores da USP chegaram a assinar um manifesto exigindo que a entidade aprovasse cotas raciais. Os professores consideram que a proposta é insuficiente. "As cotas somente para escolas públicas não bastam para garantir que a Universidade alcance a meta da composição étnico-racial da população", dizia o abaixo-assinado.

+ ERRAMOS: O conteúdo desta página foi alterado para refletir o abaixo

O campus de medicina da USP na capital paulista funciona na região do Pacaembu (zona oeste), e não no Butantã, como afirmava versão original deste texto.