Folha de S.Paulo

Exportação de carne de frango tem 1º saldo positivo desde Carne Fraca


As exportações brasileiras de carne de frango totalizaram 385 mil toneladas em julho, alta de 6,2% ante o total embarcado em igual período do ano passado, informou a ABPA (Associação Brasileira de Proteína Animal ) nesta quarta-feira (2).

Conforme a entidade, esse é o primeiro saldo mensal positivo desde a Operação Carne Fraca, da Polícia Federal, deflagrada em março deste ano e que jogou o setor de proteínas brasileiro em uma grave crise de credibilidade.

Ainda segundo a ABPA, o resultado do mês passado também foi positivo em receita cambial, com US$ 619,2 milhões, alta de 2,7% em relação ao mesmo mês do ano passado.

No acumulado de 2017, houve queda de 4,6% no volume vendido de carne de frango, para 2,506 milhões de toneladas. Em receita, por sua vez, as exportações cresceram 5,4%, para US$ 4,201 bilhões.

"Emirados Árabes Unidos, Egito, Japão, México, Kuwait, Angola e outros mercados contribuíram para o bom desempenho registrado no mês. Nossa expectativa é que o ritmo se mantenha nesses níveis até o fim de 2017, recuperando o setor exportador dos impactos negativos registrados ao longo do primeiro semestre", afirmou, em nota, o presidente-executivo da ABPA, Francisco Turra.

vídeo operação Carne Fraca

As exportações brasileiras de carne suína in natura caíram 6,8% em julho em relação ao mesmo período de 2016, para 48,7 mil toneladas.

Já em receita, houve aumento de 10%, com US$ 122,7 milhões no mês passado.

De janeiro a julho, o volume vendido de carne suína in natura caiu 3,1%, para 342,4 mil toneladas, com receita cambial de US$ 863 milhões, ante US$ 685,2 milhões em igual período de 2016.

"Houve uma retração pontual nas importações de determinados mercados. A boa notícia veio de Hong Kong, que retomou suas importações em patamares razoavelmente elevados", afirmou o vice-presidente de mercados da ABPA, Ricardo Santin, também em nota.