Folha de S.Paulo

Campanha liga falta de informação em rótulos a má alimentação e obesidade


"Você tem o direito de saber o que come" diz uma campanha veiculada em TV pela primeira vez no último dia 1º e que será colocada em jornais, revistas, rádio e internet neste mês.

No vídeo principal da campanha, uma família que consome ultraprocessados vê com surpresa a revelação de componentes não explícitos dos produtos, como as gorduras de uma caixa de bolo ou o açúcar de um pacote de suco industrializado.

O consumo desses alimentos e bebidas não saudáveis, como refrigerantes e sucos açucarados, biscoitos, salgadinhos, macarrão instantâneo, sobremesas industrializadas seria estimulado por falta de informações, informações pouco claras ou enganosas em seus rótulos. O principal problema seria a falta de alerta sobre o excesso de ingredientes como sódio, açúcar e gorduras.

A campanha aponta que o aumento do consumo de superprocessados é causa da epidemia de obesidade - que atingiu mais de 650 milhões de pessoas em 2016, aumentou quase cinco vezes entre os homens e mais do que duplicou entre mulheres nos últimos 35 anos no Brasil, segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde)

A campanha pretende engajar os consumidores para a defesa de rótulos mais claros e a restrição de propagandas enganosas, com destaque àquelas direcionadas ao público infantil.

É assinada pela Aliança pela Alimentação Adequada e Saudável, composta por organizações, profissionais e associações para desenvolver e fortalecer políticas públicas em defesa da segurança alimentar e nutricional. A Aliança é formada por instituições como Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor), Asbran (Associação Brasileira de Nutrição) e Abrasco (Associação Brasileira de Saúde Coletiva) e ACT Promoção da Saúde.