Folha de S.Paulo

Marine Le Pen é acusada de plagiar discurso de François Fillon


A candidata populista de direita à presidência da França, Marine Le Pen, foi acusada de plagiar trechos de discursos de François Fillon, derrotado no primeiro turno das eleições, numa tentativa de angariar o voto dos eleitores do ex-candidato do partido Os Republicanos.

Ao discursar nesta segunda-feira (1º), por ocasião das comemorações do 1º de Maio na França, Le Pen se apropriou de três passagens de um discurso patriótico de Fillon, realizado no dia 15 de abril.

Como não houve menção ao candidato derrotado, o jornal francês "Le Monde" e outros órgãos de imprensa afirmaram se tratar pura e simplesmente de plágio, no que poderia ser uma tentativa de angariar os votos de Fillon, que caiu em desgraça durante o primeiro turno após um escândalo de desvio de recursos públicos.

O ex-primeiro-ministro enfrenta um processo judicial sob a acusação de pagar salários a sua esposa e filhos com dinheiro público, sem que eles tenham de fato trabalhado. Apesar do escândalo, Fillon obteve quase 20% dos votos na primeira rodadas das eleições.

As semelhanças entre os discursos de Fillon e Le Pen teriam sido notadas primeiramente pelo canal RidiculeTV no Youtube, que normalmente se dedica a satirizar o candidato centrista Emmanuel Macron, adversário da populista no segundo turno das eleições. O vídeo mostra uma justaposição de imagens entre os dois discursos, onde os candidatos pronunciam exatamente as mesmas palavras.

O coordenador da campanha de Le Pen, David Rachline, afirmou ao jornal Libération que a apropriação das frases de Fillon por parte de Le Pen foi uma tentativa de aproximá-la de uma nova parcela do eleitorado. O discurso, segundo disse, teria sido uma "piscadela de olhos deliberada por parte de uma candidata que quer unir as pessoas e demonstrar que não é sectária".

O segundo turno está marcado para o dia 7 de maio, numa eleição considerada como uma guinada na política francesa, após Le Pen e Macron desbancarem as forças tradicionais e transformarem o cenário político do país. O centrista Macron lidera as pesquisas com 60% das intenções de voto, contra 40% de Le Pen.