Folha de S.Paulo

Ciberataque global em maio foi feito pela Coreia do Norte, diz Reino Unido


O governo britânico disse nesta sexta-feira (27) que a Coreia do Norte estava por trás de um ciberataque feito em maio que atingiu dezenas de países, incluindo o sistema de saúde do Reino Unido e o Brasil.

"Acreditamos que a Coreia do Norte é o Estado envolvido nos ataques globais a nossos sistemas", disse o ministro da Segurança britânico, Ben Wallace.

Segundo ele, o governo tem "fortes evidências" de que um país estrangeiro foi o responsável pelas ações que usaram o software WannaCry.

"Nós temos tanta certeza quanto possível. Não posso dar detalhes de inteligência, mas internamente e em vários países se acredita amplamente que a Coreia do Norte teve esse papel", afirmou ele em entrevista a rádio da BBC.

O WannaCry infectou mais de 300 mil computadores em 150 países em maio em poucos dias, exigindo um pagamento a partir de US$ 300 (R$ 985) para que o equipamento fosse liberado.

Na ocasião, pesquisadores de segurança digital levantaram a hipótese de que Pyongyang estivesse por trás dos ataques.

Mais de um terço do sistema de saúde público britânico, conhecido como NHS, foi afetado, embora o ataque usasse um software considerado pouco sofisticado.

Segundo Wallace, isso mostra que o país precisa melhorar sua segurança digital.

No Brasil, computadores da Petrobras e do Itamaraty foram afetados pelos ataques.

Entre outros, também foram alvos o Ministério do Interior da Rússia, a empresa espanhola Telefónica e a americana FedEx.