Folha de S.Paulo

Trump diz não saber até quando secretário de Estado fica no cargo


Em meio ao público descompasso entre o presidente Donald Trump e seu secretário de Estado, Rex Tillerson, o mandatário dos Estados Unidos afirmou, em entrevista nesta quinta (2), que "não sabe" quanto tempo mais Tillerson ficará no cargo.

"Bom, vamos ver. Eu não sei", disse Trump ao canal de TV Fox News, depois de ser questionado se Tillerson permaneceria no governo até o fim de seu mandato.

O presidente afirmou que "não está feliz com algumas pessoas" no Departamento de Estado, responsável pela política externa americana e que vem adotando posicionamentos opostos a Trump. Por outro lado, disse que Tillerson "está trabalhando duro e fazendo o melhor que pode".

"O único que importa sou eu", afirmou Trump. "Porque, quando se trata disso [política externa], é isso que a política será."

Tillerson, 65, ex-executivo de uma gigante petroleira, a Exxon Mobil, vem manifestando posições contrárias às de Trump desde quando assumiu o cargo.

Ele já rejeitou publicamente a ideia de proibir a imigração de muçulmanos, que foi alvo de um decreto anti-imigração da presidência, e chamou a Rússia de uma "ameaça" aos Estados Unidos.

Semanas atrás, a tensão com o presidente chegou ao ponto máximo, quando uma reportagem do cannal de TV NBC News informou que Tillerson teria chamado Trump de "idiota" após uma reunião no Pentágono.

O secretário concedeu uma rara entrevista coletiva na época para negar que renunciaria ao cargo –mas não desmentiu a declaração.

O próprio desempenho de Tillerson à frente da pasta também tem sido alvo de críticas —boa parte das posições de segundo escalão do Departamento de Estado, por exemplo, está vaga, o que cria vácuos no relacionamento externo do país. O secretário centralizou boa parte das decisões da pasta e também pretende reduzir 8% do quadro de funcionários.

Questionado sobre o assunto na entrevista da Fox News, Trump afirmou que está "cortando custos".

"Eu sou um homem de negócios. Não precisamos preencher todos os cargos", disse.

A entrevista de Trump nesta quinta foi concedida um dia antes de ele embarcar para uma viagem de 12 dias à Ásia, na qual será acompanhado por Tillerson.

O Departamento de Estado não comentou as declarações do presidente.