Folha de S.Paulo

Procuradoria diz que Pizzolato tem cela 'espaçosa, limpa e bem iluminada'


A Procuradoria-Geral da República fez uma inspeção nesta terça-feira (10) na cela onde está detido o ex-diretor do Banco do Brasil Henrique Pizzolato, no Centro de Detenção Provisória do Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília, e declarou que ele tem os "direitos respeitados".

Pizzolato, condenado a 12 anos e sete meses de prisão por corrupção passiva, peculato e lavagem de dinheiro no mensalão, estava preso na Itália, para onde havia fugido, e foi extraditado para o Brasil no mês passado.

A visita foi feita pelo secretário-substituto da Secretaria de Cooperação Internacional da PGR, procurador Carlos Bruno da Silva.

Segundo a Procuradoria, Pizzolato está em uma ala com capacidade para 90 pessoas e que atualmente é ocupada por 23, separadas em celas de acordo com o regime a que foram condenadas. Pizzolato divide cela com o publicitário Ramon Hollerbach, também condenado no mensalão.

Ainda de acordo com a Procuradoria-Geral da República, a cela é "espaçosa, limpa, organizada e bem iluminada". O procurador Carlos Bruno declarou que Pizzolato está "muito bem" tanto fisicamente como psicologicamente.

A PGR fará um relatório para ser encaminhado à Justiça italiana, para mantê-la informada das condições de cumprimento da pena do ex-diretor do Banco do Brasil, que possui cidadania italiana.