Folha de S.Paulo

CPI do Carf aprova convocação de Erenice Guerra e empresários


A CPI do Carf aprovou nesta quinta-feira (16) a convocação da ex-ministra Erenice Guerra, investigada atualmente na Operação Zelotes e na Lava Jato, e também do empresário Walter Faria, do grupo Petrópolis.

A comissão também aprovou a quebra de sigilo do escritório de advogados da ex-titular da Casa Civil –o Guerra Advogados Associados– do grupo Caoa, e convocações dos empresários Victor Sandri, da Cimentos Penha, Eduardo Ramos, da Mitsubishi, e Carlos Alberto Andrade, da Caoa .

Foi a primeira sessão em que a CPI avança sobre políticos e empresários. Travada desde o início por divergências entre os parlamentares, que não queriam convocar empresários, a comissão fez uma reunião administrativa nesta semana e montou uma pauta de consenso para esta quinta.

Ainda não há data marcada para o comparecimento dos convocados.

Todos já foram citados nas investigações da Operação Zelotes. No caso de Walter Faria, há uma denúncia contra lobistas que atuariam no Carf em favor de um processo dele, mas o empresário não foi denunciado, porque não foram encontradas provas do envolvimento dele com o caso.

Já Erenice mantinha relação com o advogado José Ricardo, preso na Zelotes sob suspeita de atuar na corrupção dos processos no Carf.

Erenice foi o braço direito da então ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, e assumiu a pasta depois que Dilma saiu para se candidatar à Presidência.

Ela caiu da Casa Civil após ser envolvida em escândalos em 2010, sob suspeita que seu filho cobrava comissões para intermediar projetos privados junto ao governo federal.