• As Mais

    Friday, 20-Oct-2017 13:52:15 BRST

    Dormir menos, sonhar mais, pegar no sono mais facilmente: Folha responde dúvidas sobre sono

    MARIANA VERSOLATO
    EDITORA-ADJUNTA DE "COTIDIANO"

    01/08/2017 02h03

    Há algumas semanas, a Folha visitou o Hotel do Sono, em SP, projeto que pretendia reeducar as pessoas para dormir melhor.

    Pedimos, então, para que os leitores mandassem suas dúvidas sobre o assunto.

    As perguntas, que vão de doenças que atrapalham o sono, como o mal de Parkinson, a dificuldades para dormir sem remédios, foram respondidas por Luciano Ribeiro Pinto Jr., neurologista e presidente da Associação Brasileira do Sono.

    *

    Martin Kovensky/Editoria de Arte/Folhapress

    Gostaria de sonhar mais. Há algo que eu possa fazer?

    Os sonhos ocorrem na fase REM (de movimentos rápidos de olhos, na sigla em inglês) do sono, que corresponde de 20% a 25% das nossas noites –ou de 1h a 2h, em geral. Todo mundo sonha, mas nem todo mundo se lembra daquilo com que sonhou. Para reter os sonhos na memória, é possível treinar para acordar com calma e se concentrar nisso logo cedo.

    -

    Martin Kovensky/Editoria de Arte/Folhapress

    Sonhos com a consciência de que estamos sonhando são comuns? É normal acordar e continuar o mesmo sonho?

    Ter a consciência de que o sonho é um sonho e mudar seu enredo se chama sonho lúcido. Cerca de 20% das pessoas têm esse tipo de sonho naturalmente. Treinar para isso, porém, é muito difícil.

    -

    Martin Kovensky/Editoria de Arte/Folhapress

    Por que às vezes quatro horas de sono podem nos fazer descansar mais do que uma noite de sono de dez horas?

    Uma noite bem dormida depende da quantidade de horas e da qualidade. Se a pessoa dormir poucas horas mas passar por todos os estágios do sono, vai acordar bem. A quantidade ideal varia, mas em geral é de 7h a 9h.

    -

    Martin Kovensky/Editoria de Arte/Folhapress

    Tenho muitos sonhos e isso tem me deixado exausto e irritadiço, como se não tivesse descansado à noite.

    O sonho é uma atividade mental, mas, em alguns casos, ela pode ser mais intensa e causar o que se chama de sonho épico, que são sonhos cansativos. Não há nenhuma causa aparente. Se o problema for muito intenso a ponto de atrapalhar a produtividade durante o dia, talvez seja preciso consultar um médico do sono –terapia comportamental ou medicamentos podem ser necessários.

    -

    Martin Kovensky/Editoria de Arte/Folhapress

    Depois que tive filho, sempre durmo em alerta. Tem como reverter isso?

    O estado de alerta é normal no início, quando o bebê nasce, mas depois deve passar. A terapia comportamental pode ajudar a melhorar.

    -

    Martin Kovensky/Editoria de Arte/Folhapress

    Tenho pesadelos todos os dias. Já tentei de tudo para corrigir. Vou começar a usar o CPAP [máscara para tratar apneia]. O que pode ser?

    O pesadelo é considerado um distúrbio do sono e pode ter causa biológica (um problema de saúde, por exemplo) ou psicológica. Se a pessoa recebeu a recomendação de usar o CPAP, é provável que ela tenha apneia do sono, que pode causar sufocamento. Nesse caso, os sonhos podem estar incorporando o desconforto respiratório.

    -

    Martin Kovensky/Editoria de Arte/Folhapress

    Dormir demais pode causar problemas de saúde?

    A sonolência excessiva tem de ser vista do ponto de vista médico. É preciso avaliar se a pessoa tem apneia ou doenças como depressão ou hipersonia (excesso de sono).

    -

    Martin Kovensky/Editoria de Arte/Folhapress

    Seis meses depois de ter feito a cirurgia bariátrica, ainda não consigo dormir bem. Há alguma explicação?

    A cirurgia é indicada para tratar obesidade, que muitas vezes está associada a um problema respiratório. Só um médico pode dizer se o problema de sono está ligado.

    -

    Martin Kovensky/Editoria de Arte/Folhapress

    Tenho mal de Parkinson, durmo pouco e tomo Rivotril. Isso pode me prejudicar?

    O Parkinson deve ser a causa da insônia, e tratá-lo pode aliviá-la. Já benzodiazepínicos podem alterar o sono e estão ligados ao mal de Alzheimer. A redução deve ser feita com ajuda profissional.

    -

    Martin Kovensky/Editoria de Arte/Folhapress

    Não consigo pegar no sono de maneira natural. Mesmo quando estou muito cansada e faço a higiene do sono não apago. Gostaria de me livrar do remédio hipnótico que uso.

    A higiene do sono é importante, mas sozinha pode não ser efetiva. A terapia comportamental é o tratamento sem remédios mais importante. Dicas personalizadas também podem ajudar.

    -

    Martin Kovensky/Editoria de Arte/Folhapress

    Costumo dormir bem, mas acordo todos os dias de madrugada e logo em seguida volto a pegar no sono. Isso compromete minha saúde?

    Se o sono for reparador, se dormir de novo logo e se houver poucos despertares, não há problema. Caso as respostas sejam negativas, o ideal é procurar um médico.

    -

    Martin Kovensky/Editoria de Arte/Folhapress

    Depois dos 50 anos, passei a ter problemas de sono. Passei a tomar melatonina, que tem sido eficaz. Há contraindicação?

    Não há contraindicação para o uso da melatonina, mas é necessário ter indicação precisa. Ela pode funcionar melhor para distúrbios de ritmo de sono, idosos com baixa produção do hormônio, trabalhadores em turnos e jet lag, por exemplo.

    -

    Martin Kovensky/Editoria de Arte/Folhapress

    Meu filho acorda no meio da noite com terror noturno ou sonambulismo. O que pode ser feito?

    É preciso primeiro proteger a criança –evitar que ela caia de escadas, por exemplo. Também é preciso fazer diagnóstico preciso, para evitar a confusão com outras doenças.

    Edição impressa

    Fale com a Redação - leitor@grupofolha.com.br

    Problemas no aplicativo? - novasplataformas@grupofolha.com.br

    Publicidade

    Folha de S.Paulo 2017