• Colunistas

    Tuesday, 24-Oct-2017 09:25:35 BRST
    Adriana Gomes

    Não me solidarizo

    30/08/2015 02h00

    Produtividade é, de forma bem resumida, o índice que mede quanto se produz por hora trabalhada. Segundo a Confederação Nacional da Indústria, esse índice cresceu apenas 0,6% ao ano entre 2002 e 2012 no Brasil.

    Estão à frente em termos de produtividade Coreia do Sul, Taiwan, Cingapura, Estados Unidos, Japão, Espanha, Alemanha, França, Austrália, Canadá e Itália.

    Esse índice reflete bem a situação dos serviços públicos no Brasil.

    Minha experiência nesta semana junto a órgãos públicos me deixou sem esperanças de que, nesta vida, o atendimento no serviço público seja melhorado e que haja respeito ao cidadão.

    As instituições têm equipe de atendimento sem capacitação técnica adequada, amarrada às burocracias. Há pouca gente para o número enorme de inquéritos e processos e os equipamentos são obsoletos ou estão quebrados.

    Um serviço que poderia ter sido feito em dez minutos demorou uma hora. Nos 50 minutos que me foram roubados, o funcionário atendeu a 4 telefonemas e fiquei sabendo das dores nas costas, da falta de escrivães, da falta de serviços de limpeza e que o funcionário teve que pagar o selo para envio de intimações pelo correio.

    Ele olhou para mim e perguntou: "A senhora entende por que está tudo atrasado, né?"

    Não, eu não entendo. O governo leva uma parte significativa do que eu ganho trabalhando 18 horas por dia, muitas vezes aos sábados e domingos. Parte da minha remuneração é obtida por resultados atingidos. Se eu não trabalho, eu não ganho. Então, não, eu não entendo e não me solidarizo.

    Falta organização dos processos e agilidade. Ninguém está preocupado em resolver o problema, só pedem para eu entender que é assim mesmo.

    As pessoas só conhecem o seu trabalho e ignoram o restante da cadeia. Se soubessem, se interessassem ou fossem instruídos poderiam identificar formas de acelerar o processo. Aumentar a produtividade consiste em eliminar tarefas desnecessárias, capacitar funcionários, investir em tecnologia e focar na resolução de problemas.

    Hoje, entretanto, minha esperança e fé na melhoria da produtividade no Brasil está em 0,6% .

    adriana gomes

    Escreveu até junho de 2016

    Mestre em psicologia, coordena o Núcleo de Estudos e Negócios em Desenvolvimento de Pessoas da ESPM.

    Fale com a Redação - leitor@grupofolha.com.br

    Problemas no aplicativo? - novasplataformas@grupofolha.com.br

    Publicidade

    Folha de S.Paulo 2017