• Colunistas

    Monday, 18-Dec-2017 20:28:08 BRST
    Márcio Rachkorsky - Marcio Rachkorsky

    Prepare o bolso para o condomínio

    01/02/2015 01h30

    É hora de avaliar os gastos do último ano e calcular o valor do condomínio para os próximos doze meses. Trata-se de uma tarefa difícil e ingrata para síndicos e membros do conselho, já que o reajuste é quase sempre inevitável.

    Nos últimos anos, o aumento nas despesas de condomínio ficou bem acima da inflação e impactou demais no orçamento das famílias. Há vários casos em que a taxa de condomínio é quase equivalente ao aluguel ou prestação do apartamento.

    A despesa de condomínio é mero rateio de contas, uma "vaquinha" para pagar as contas do mês.

    Aos milhões que moram em condomínio, infelizmente, eu alerto para que preparem o bolso, pois haverá aumento significativo neste ano.

    Ocorre que, além dos reajustes normais dos serviços (administração, manutenção de bombas, interfones, portões, elevadores, dentre outros), haverá aumento da conta de energia elétrica, de gás e implementação de novas obrigações impostas por lei e normas regulamentadoras, especialmente na área trabalhista e tributária.

    Mas, novamente, o maior vilão será o custo com funcionários, que representa entre 50% e 75% dos gastos, e a categoria teve dissídio elevado. Os funcionários próprios tiveram um reajuste de 8,5% nos salários e os terceirizados, por volta de 10%, além dos reajustes nos benefícios.

    Comodamente, muitos moradores preferem não participar das reuniões, não analisar as contas mensais e não ajudar a administração com ideias e sugestões.

    E logo surgem as comparações com o condomínio da cunhada, da sogra, do amigo, que "tem até piscina e academia e a taxa de condomínio é bem mais barata". Impossível a relação, pois tudo depende do número de funcionários e unidades, do histórico administrativo de cada empreendimento e do nível de inadimplência.

    Aos gestores, o momento é de planejamento, renegociação de contratos, enxugamento de custos e estratégia eficaz no combate à inadimplência.

    Aos moradores, cabe a colaboração efetiva, compreensão e, acima de tudo, comparecimento na assembleia que em breve ocorrerá.

    márcio rachkorsky

    É advogado, especialista em condomínios. Presidente da Associação dos Síndicos de SP e membro da Comissão de Direito Urbanístico da OAB-SP. Escreve aos domingos,
    a cada duas semanas.

    Fale com a Redação - leitor@grupofolha.com.br

    Problemas no aplicativo? - novasplataformas@grupofolha.com.br

    Publicidade

    Folha de S.Paulo 2017