• Colunistas

    Saturday, 21-Oct-2017 13:35:04 BRST
    Márcio Rachkorsky - Marcio Rachkorsky

    Vazamento de gás

    24/05/2015 01h30

    Essa semana acompanhamos, com preocupação, o caso da explosão ocorrida num condomínio residencial em São Conrado, no Rio de Janeiro. Apesar da gravidade do incidente, felizmente o número de vítimas foi pequeno. Agora, bate em todos que moram em condomínio uma sensação de medo e insegurança. Será que meu prédio é seguro? Está tudo em ordem com a tubulação e instalação de gás ? Há um plano e rotas de fuga bem definidos ?

    A verdade é que muitos condomínios são verdadeiros "barris de pólvora", prestes a explodir, com graves problemas estruturais, elétricos e hidráulicos, agravados pela falta de manutenção preventiva e pelo desinteresse dos moradores em participar ativamente das reuniões. Síndicos de todo o país estão extremamente preocupados, uma comoção que sempre ocorre após um grave acidente. Basta lembrarmos dos edifícios que desabaram e geraram novas e rígidas normas para reforma no interior dos apartamentos.

    Para evitar acidentes nas instalações de gás, três medidas preventivas são essenciais. Primeiro, a revisão e o conserto dos aquecedores de passagem de todos os apartamentos. Depois, a manutenção preventiva em todos os equipamentos e instalações coletivas de gás. Por fim, o teste nas tubulações para verificar se existe algum vazamento.

    Todo condomínio precisa estar em dia com seu AVCB (Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros), manter ativa sua brigada de incêndio e manter em dia a manutenção de mangueiras e extintores.

    Outro ponto de extrema relevância é a apólice de seguro do condomínio. Ela precisar ser renovada anualmente e deve prever a cobertura mais ampla e abrangente possível. É altamente recomendável que cada proprietário faça também um seguro para o seu apartamento, já que a apólice do condomínio cobrirá apenas a estrutura física da edificação. Tal seguro individual é muito barato e, se fechado em grupo, fica ainda mais em conta e cobre toda a parte de eletrodomésticos, móveis e demais bens da residência, até mesmo a cobertura de diárias em hotéis, para o caso de indisponibilidade temporária de uso do imóvel, tal qual está acontecendo no caso da explosão do Rio de Janeiro.

    márcio rachkorsky

    É advogado, especialista em condomínios. Presidente da Associação dos Síndicos de SP e membro da Comissão de Direito Urbanístico da OAB-SP. Escreve aos domingos,
    a cada duas semanas.

    Fale com a Redação - leitor@grupofolha.com.br

    Problemas no aplicativo? - novasplataformas@grupofolha.com.br

    Publicidade

    Folha de S.Paulo 2017