• Colunistas

    Saturday, 21-Apr-2018 14:17:54 BRT
    Mônica Bergamo

    Manifestantes servem ração de cachorro em frente à Prefeitura de SP

    20/10/2017 13h31 - Atualizado às 18h16

    Vitor Marques/Divulgação
    Integrantes da Juventude do PT de São Paulo e do Fórum da Cidade realizam protesto em frente à sede da Prefeitura de São Paulo, na sexta (20)
    Manifestantes servem ração de cachorro em frente à sede da Prefeitura de São Paulo, na sexta (20)

    Integrantes da juventude do PT e de movimentos sociais e estudantis fizeram um protesto em que ofereceram ração de cachorro para quem passou em frente à sede da Prefeitura de São Paulo, no centro, no início da tarde desta sexta (20).

    O ato, que começou por volta do meio-dia e terminou às 13h30, era contra a distribuição da farinata, farinha feita com alimentos perto da data de validade que seriam descartados por produtores ou revendedores. O produto serve de base para o granulado alimentar que virou polêmica nos últimos dias, quando o prefeito João Doria divulgou que distribuiria o composto para famílias de baixa renda da cidade.

    "A grande inovação de gestão do Doria é a gestão do 'resto'. Oferece resto de comida, resto de medicamentos e o que sobra do seu tempo, enquanto viaja para se viabilizar candidato a presidência da República", afirma o secretário da juventude do PT de São Paulo, Vitor Marques. "O que ele mesmo propôs não está pronto. Aproveitamos a hora do almoço e viemos distribuir ração."

    A comida canina também foi colocada em potes dispostos no chão ao lado de nomes de secretários municipais como Eloisa Arruda (Direitos Humanos e Cidadania), Wilson Poit (Desestatizações e Parcerias) e Julio Semeghini (Governo).

    Apresentado pelo prefeito com o programa Alimento para Todos, o granulado já foi chamado de "ração humana" por críticos como a vereadora Sâmia Bomfim (PSOL), que protocolou um pedido de abertura de CPI na Câmara Municipal para investigar o projeto.

    Na quarta (18), Doria anunciou a adoção do uso da farinata na alimentação de crianças estudantes de escolas municipais, mas desistiu da ideia.

    RESPOSTA

    Em resposta à declaração de Marques, Luiz Oliveira, líder do grupo de jovens tucanos Conexão 45, ligado ao prefeito, aponta que o número de manifestantes no ato foi pequeno e afirma que "João Doria está fazendo o que o PT e o Haddad não fizeram em seus quatro anos: gestão".

    "A população não aguenta mais pequenos grupos disseminando mentiras sobre ações do prefeito", conclui Oliveira.

    mônica bergamo

    Jornalista, assina coluna com informações sobre diversas áreas, entre elas, política, moda e coluna social. Está na Folha desde abril de 1999. Escreve diariamente.

    Fale com a Redação - leitor@grupofolha.com.br

    Problemas no aplicativo? - novasplataformas@grupofolha.com.br

    Publicidade

    Folha de S.Paulo 2018