• Colunistas

    Thursday, 19-Oct-2017 19:58:51 BRST
    Sandro Macedo

    Pequeno reforço

    06/04/2016 11h52

    Quando a gigante Ambev adquiriu a pequena Wäls muitos torceram o nariz. Como é frequente nesse tipo de transação, fica a impressão que a grande não tem muito a ganhar, e que a pequena tem tudo a perder —no caso da mineira, o prestígio de ser uma das artesanais mais bem-sucedidas do mercado.

    Corta. Meses depois, a Bohemia, marca da Ambev a qual a Wäls se associou, lança três novos rótulos, numa tentativa de se inserir de vez no mercado das cervejas especiais: a india pale ale Jabutipa, a blond ale Caã-Yari e a witbier Bela Rosa. A fórmula parecia infalível, belos rótulos e ingredientes exóticos (jabuticaba, erva-mate e pimenta-rosa, respectivamente), mas nenhuma me impressionou. Até ali, a Wäls tinha pouco ou nada a ver com os títulos, que já estavam sendo trabalhados bem antes da aquisição.

    Corta. Março deste ano. Aceitei o convite para conhecer a fábrica da Bohemia, em Petrópolis, região serrana do Rio. O espaço voltou à ativa há poucos anos e se dedica apenas aos rótulos especiais. Não foi a primeira cervejaria que conheci, mas impressionou ver um lugar daquela proporção envolvido exclusivamente às cervejas especiais. Fui seduzido. E o diabo afinal não era tão vermelho quanto eu queria pintar.

    Divulgação
    Jabutipa, Caã-Yari e Bela Rosa, rótulos especiais da Bohemia
    Jabutipa, Caã-Yari e Bela Rosa, rótulos especiais da Bohemia

    Melhor, foi possível ver o dedo do pequeno ajudando o gigante. Explica-se: uma das primeiras missões do cervejeiro José Felipe Carneiro, da Wäls, foi aperfeiçoar os três rótulos da Bohemia. Provado e aprovado. Como sou fã de IPA, fiquei especialmente feliz com o resultado alcançado na Jabutipa, agora bem menos amarga e com a presença da jabuticaba mais perceptível. Se fosse definir as mudanças em uma palavra, seria "equilíbrio". Segundo Carneiro, o ajuste de uma cerveja durante sua vida útil é natural. Mas em larga escala ele requer mais cuidados.

    As cervejas "revisadas" já estão no mercado, mas os lotes antigos não foram retirados das prateleiras. As duas devem conviver alguns meses até acontecer a troca completa.

    E tem mais novidade. Já com a participação da turma da Wäls desde a criação, mais três rótulos estão chegando em breve: a 838 Pale Ale, a 14 Weiss e a Aura Lager. As três foram apresentadas no recente Festival Brasileiro da Cerveja, em Blumenau, e a 838 (muito boa) chegou a ser premiada em sua categoria. O novo trio deve entrar nas prateleiras ainda neste semestre. Já devidamente ajustadas.

    A FOUNDERS VOLTOOOU

    Boa noticia para os fãs da cervejaria de Michigan (EUA). Longe do mercado brasileiro desde o final de 2014, a Founders está de volta ao Brasil com seus rótulos tradicionais, como a Centennial IPA, a All Day IPA (uma session india pale ale mais cítrica) e a Dirty Bastard, uma scotch ale.

    Além delas, a marca terá novidades no mercado brasileiro, como a Mosaic Promise, outra IPA, mais "simples", feita com um malte (Golden Promise) e um lúpulo (Mosaic); outra que chega pela primeira vez por aqui é a Nitro Oatmeal Stout, com aveia e o lúpulo Nugget, um pouco picante. Para completar, o nitrogênio dá a cerveja aquele efeito cascata, como da Guinness, que confere uma cremosidade ao rótulo.

    As cervejas estão viajando ao Brasil neste momento e devem chegar ao mercado em maio. O preço sugerido é de R$ 24 (quando saiu custava cerca de R$ 17... sinal dos tempos).

    Divulgação
    Cerveja Founders
    All Day IPA, da cervejaria americana Founders, volta ao mercado

    sandro macedo

    Cervejas

    sandro macedo

    Jornalista, foi editor do 'F5', da 'Folha Corrida' e repórter de bares do 'Guia Folha'. Escreve aos domingos.

    Fale com a Redação - leitor@grupofolha.com.br

    Problemas no aplicativo? - novasplataformas@grupofolha.com.br

    Publicidade

    Folha de S.Paulo 2017