• Colunistas

    Monday, 18-Dec-2017 18:14:37 BRST
    Sandro Macedo

    Cervejas com toque do chef

    11/06/2017 02h00

    A relação de chefs com cervejas é antiga e, cada vez mais, vai além da simples harmonização de estilos e pratos. Talvez o casamento mais famoso do setor seja o do chef semideus Ferran Adrià com a espanhola Estrella Damm, que resultou na Inedit. A cerveja, uma witbier com alcaçuz, fez muito barulho por nada. Quer dizer, por pouco. Apesar da fama do estrelado chef, o rótulo agradou mais aos tietes do catalão do que aos plantonistas cervejeiros.

    Por aqui não faltam experiências, com mais ou menos participação dos chefs nas receitas. O entusiasta Thomas Troisgros, por exemplo, juntou-se à mineira Wäls para criar a pilsen CT Wäls, vendida em seus restaurantes do Rio (como o CT Brasserie). A paranaense Bodebrown investiu na linha Bière de Table, com cozinheiros locais.

    E a equação gastronomia + cerveja ganhou novidades. Uma delas é o projeto Brasii, comandado pelo chef e sommelier de cervejas Allan Cunha.

    Depois do lançamento de Moqueca, chegou ao mercado a Rollmops, que harmoniza com o quitute homônimo, um filé de sardinha que envolve uma cebola marinada com vinho branco (mais comum em Curitiba). O estilo escolhido foi o lichtenhainer, pouco explorado no país. A garrafa traz no rótulo uma receita do prato. A próxima da linha será a amber ale Fried Chicken.

    Outro que pôs a mão no lúpulo foi o chef Renato Caleffi, do Le Manjue Organique. Seguindo a linha saudável da casa, a opção foi uma cerveja sem glúten. Batizada de Uma, a blond ale é fácil de beber, com pouco amargor e um toque de capim-limão. Pode agradar aos "com glúten" também.

    Divulgação
    Cervejas da coluna de Sandro Macedo de 11.jun.2017

    UMA
    Uma blond ale com levedura belga, capim-limão e sem glúten. Turva e de baixo amargor, apresentou no primeiro lote espuma de pouca duração.

    Teor alcoólico 4,7%; R$ 18 (310 ml), no Le Manjue Organique (tel. 3034-0631)

    ROLLMOPS
    Feita na cervejaria Unika (SC) com malte brasileiro, tem estilo incomum por aqui, o alemão lichtenhainer. Clara, um pouco ácida e levemente defumada.

    Teor alcoólico 3,9%; R$ 27 (355 ml), no Empório Alto dos Pinheiros (tel. 3031-4328)

    sandro macedo

    Cervejas

    sandro macedo

    Jornalista, foi editor do 'F5', da 'Folha Corrida' e repórter de bares do 'Guia Folha'. Escreve aos domingos.

    Fale com a Redação - leitor@grupofolha.com.br

    Problemas no aplicativo? - novasplataformas@grupofolha.com.br

    Publicidade

    Folha de S.Paulo 2017