UOL

 
Folha.com
 
 
 

24/06/2012 - 22h57

Brasileira é presa em protesto feminista na Ucrânia

DE SÃO PAULO

Primeira integrante brasileira do Femen, grupo feminista famoso pelos protestos nus, Sara Winter, 19, foi presa neste domingo durante jogo da Eurocopa, em Kiev, capital da Ucrânia, segundo o "Fantástico", da TV Globo.

Winter e uma ucraniana, também membro do Femen, protestavam em frente ao estádio onde jogavam Inglaterra e Itália, pelas quartas-de-final do campeonato.

As duas estavam com os seios à mostra, estratégia habitual do grupo. Além disso, tinham pintado na barriga os dizeres "estuprada pela Euro [Eurocopa] 2012 [competição entre as seleções de futebol do continente]".

Carregavam também cartazes que diziam "sexo livre", criticando o turismo sexual impulsionado por eventos esportivos.

Logo após o início do protesto, fotógrafos e cinegrafistas cercaram a dupla.

As duas gritavam palavras de ordem, mas foram rapidamente contidas por policiais e devem passar a noite presas, segundo o "Fantástico".

Winter saiu do Brasil na última quinta-feira e só chegou à Kiev na noite deste sábado (23).

Apesar da longa viagem, ela não sabia se conseguiria protestar. Na manhã do sábado, outras três integrantes do Femen mal começaram a protestar e logo foram abordadas por policiais.

Veja mais notícias de Cotidiano

24/10/2012

15h02 - Governo cria grupo para reavaliar procedimentos de aeroportos em incidentes

14h49 - Acordo de isenção de visto para os EUA deve demorar, diz ministro

14h32 - Mulher de 77 anos desaparece no Santuário de Aparecida (SP)

14h17 - Grupo destrói casa de suspeito de matar menina de 10 anos em GO

14h15 - Enfermeiro baleado por atirador em São Paulo é liberado de hospital

14h07 - Professora que morreu em sala de aula ia se aposentar em novembro

13h18 - Sobe para 15 o número de mortos em acidente de ônibus no Rio

13h10 - Brasil cai e fica com nível 'muito baixo' em proficiência em inglês

13h04 - Verônica Ferriani se apresenta em Ribeirão na semana que vem

12h44 - Julgamento de Bola por morte de carcereiro é adiado para novembro