• Cotidiano

    Sunday, 22-Oct-2017 16:54:50 BRST

    Preso suspeito de estuprar seis mulheres na zona sul de São Paulo

    FABIO PAGOTTO
    DE "AGORA"

    13/09/2017 22h27

    Reprodução/Tv Globo
    SAO PAULO,SP - 13/9/2017 - Está preso no 96º DP, em São Paulo, o homem conhecido como "Maníaco do Ibirapuera". Até o momento, cinco mulheres já zeram o reconhecimento de Cláudio Aquino. O estuprador agia sempre em áreas da zona sul da capital. O veículo dele, sempre usado nas ações, já passou por perícia e também foi reconhecido por todas as vítimas. No último feriado, entre menores de idade, o maníaco abusou de três mulheres no mesmo dia, num intervalo de poucas horas. A expectativa é que Cláudio que preso temporariamente até o julgamento.(Foto: TC GLOBO/REPRODUCAO, NAS RUAS) *** EXCLUSIVO AGORA SAO PAULO **
    Carro usado pelo auxiliar de limpeza Cláudio dos Santos Aquino Mariano, 44, nos crimes de estupro

    A Polícia Civil prendeu na noite de segunda-feira (11) o auxiliar de limpeza Cláudio Aquino dos Santos Mariano, 44 anos, acusado de ter estuprado ao menos seis mulheres desde 2014, duas delas menores de idade. Todos os casos ocorreram na zona sul e três deles dentro de um período de seis horas. Uma das vítimas é uma deficiente de 22 anos, que, segundo a mãe, teria idade mental de sete anos.

    Os policiais chegaram ao criminoso com os detalhes que uma das vítimas, uma recepcionista de 34 anos, atacada na sexta-feira (8), forneceu ao delegado Anderson Giampaoli, titular do 96º DP (Brooklin). "O estuprador circulou com ela pelas ruas do bairro e ela refez o trajeto com os investigadores. Encontramos o carro de Mariano usando imagens do sistema de câmeras da polícia, o Detecta, e com isso chegamos ao endereço dele, no Parque Bristol (no Sacomã, zona sul)", diz o delegado.

    Segundo o delegado, o modo de o estuprador agir já havia chamado a atenção da polícia. Ele usava o mesmo carro em todos os casos, um Uno azul, e forçava as vítimas a entrarem no veículo anunciando um assalto, ameaçando-as com um revólver. Depois de circular um pouco, localizava um local escuro e vazio e cometia o estupro, segundo a polícia. Em parte dos casos, ele levou também dinheiro e celulares.

    "Fizemos uma campana na casa dele, mas acabamos prendendo ele no trabalho. Ele era terceirizado de limpeza em uma empresa na rua Quatá, na Vila Olímpia", disse o delegado. Até a noite desta quarta-feira (13), seis mulheres haviam reconhecido o suspeito na delegacia. "Ele foi reconhecido imediatamente pelas vítimas mais recentes e também pelas anteriores. Ainda estamos localizando outras", contou.

    Mariano, que é casado e pai de dois filhos, teve a prisão temporária decretada e irá ficar preso na carceragem do 77º DP (Santa Cecília) por até 15 dias, a partir de hoje. "Dentro desse prazo eu espero que outras possíveis vítimas o reconheçam. Ele é suspeito em diversos outros casos. Depois disso, irei requisitar a prisão preventiva dele, que pode ser estendida até que ele seja julgado", afirmou o delegado.

    Segundo a Polícia Civil, Aquino já cumpriu pena de dez anos (2002 a 2012) por dois crimes de roubo, em Passo Fundo, em Minas Gerais, e outro em Campinas (93 km de SP).

    RELATO

    Reprodução
    O auxiliar de limpeza Cláudio Aquino dos Santos Mariano, 44, suspeito de ter cometido seis estupros na zona sul de São Paulo
    O auxiliar de limpeza Cláudio Mariano, 44, suspeito de ter cometido seis estupros na zona sul

    Uma das vítimas do estuprador, a recepcionista de 34 anos, deu um depoimento que ajudou os policiais a chegarem ao criminoso. "Na hora, mesmo com muita raiva e nojo, eu quis guardar o máximo de detalhes o possível para prender esse monstro", contou ao "Agora".

    "Eu tinha ido colocar créditos no celular, tinha levado apenas R$ 20 em dinheiro. Ele me abordou a pé na [avenida] Hélio Pellegrino, mostrou um revólver e disse que era um assalto. Me forçou a entrar no carro dele e pediu meu dinheiro e o celular" disse.

    Eu disse que não tinha nada, ele começou a circular pelo bairro e achei que fosse me matar", contou a vítima. "Ele falou então que, se eu não tinha dinheiro, teria que ajudar ele de alguma outra forma. Eu falei que tenho uma filha de um ano e dez meses, e que sou a única pessoa que ela tem no mundo. Ele falou para que pensasse nela, mandou eu tirar a calça e se forçou para dentro de mim. 'Vou ejacular fora para não tornar a sua vida pior do que já é', ele falou", afirmou.

    Segundo ela, o estuprador deu mais algumas voltas de carro e a deixou no mesmo ponto em que havia pego a vítima. "Um horror inesquecível", diz a mulher.

    OUTRO LADO

    Questionado pela reportagem sobre as acusações de crime de estupro, o auxiliar de limpeza Cláudio Aquino dos Santos Mariano, 44 anos, não quis fazer comentários.

    Segundo o delegado Anderson Giampaoli, titular do 96º DP (Brooklin), o acusado negou ter sido autor dos estupros.

    "Ele se manteve muito frio e negou todos os crimes, mesmo diante das imagens das câmeras", disse o delegado.

    Aquino foi indiciado por estupro, tentativa de estupro e roubo.

    Agora

    Fale com a Redação - leitor@grupofolha.com.br

    Problemas no aplicativo? - novasplataformas@grupofolha.com.br

    Publicidade

    Folha de S.Paulo 2017