• Cotidiano

    Monday, 23-Oct-2017 11:37:22 BRST

    Rio de Janeiro

    Filho de pedreiro Amarildo é preso na Rocinha por suspeita de tráfico

    DO RIO

    05/10/2017 23h22

    Marlene Bergamo - 27.out.2016/Folhapress
    Rio de Janeiro,RJ,Brasil 27.10.2016 Elizabete Gomes da Silva,a Bete , viuva de Amarildo vai depor na 11 DP na Rocinha Rio de Janeiro. Foto: Marlene Bergamo/Folhapress
    Elizabete Gomes da Silva, viúva de Amarildo vai depor na 11ª DP na Rocinha, em 2016

    O filho mais novo do pedreiro Amarildo de Souza, morto por policiais militares da UPP da Rocinha em 2013, foi preso na tarde desta quinta-feira (5) em uma casa na favela, em São Conrado, zona sul do Rio.

    A casa de Amarildo Gomes da Silva, 22, foi revistada por homens do Batalhão de Operações com Cães da PM, que fazem incursões na favela desde a saída das Forças Armadas no último dia 29.

    Segundo a polícia, um cão teria indicado a residência como um local onde possivelmente haveria drogas. Durante a revista, a polícia encontrou uma pistola nove milímetros e 45 munições sob a cama de Silva, que não teria apresentado resistência à prisão. O rapaz foi levado para a 11ª DP (Rocinha) e será indiciado por porte ilegal de arma de fogo.

    A família do pedreiro teve a casa reformada após sua morte. Artistas como Caetano Veloso e Marisa Monte lideraram uma campanha de arrecadação de fundos para ajudar os parentes.

    A atenção da sociedade ajudou para que o filho mais velho de Amarildo, Anderson Dias, conseguisse trabalho como modelo. O filho mais novo, no entanto, teria se envolvido com o tráfico de drogas.

    O pedreiro Amarildo de Souza foi sequestrado e torturado em julho de 2013 por policiais da UPP da Rocinha. Seu desaparecimento à época foi um dos temas que impulsionaram os protestos de junho de 2013.

    Em fevereiro de 2016, a Justiça condenou 12 dos 25 policiais militares denunciados pelos crimes de tortura seguida de morte, ocultação de cadáver e fraude processual.

    Fale com a Redação - leitor@grupofolha.com.br

    Problemas no aplicativo? - novasplataformas@grupofolha.com.br

    Publicidade

    Folha de S.Paulo 2017