• Educação

    Sunday, 19-Nov-2017 12:08:24 BRST

    Fuvest

    Fuvest começa a receber pedidos de isenção de taxa para vestibular 2018

    DE SÃO PAULO

    10/07/2017 12h51

    Junior Lago - 30.nov.2014/UOL
    Estudantes fazem prova da primeira fase da Fuvest em prédio da Poli-USP, em São Paulo
    Estudantes fazem prova da primeira fase da Fuvest em prédio da Poli-USP, em São Paulo

    Estudantes de baixa renda podem solicitar a partir desta segunda-feira (10) a isenção da taxa de inscrição da Fuvest, que realiza o processo seletivo para a USP (Universidade de São Paulo). Os interessados poderão fazer o pedido até dia 7 de agosto pela internet, na área "Usuários".

    Na edição passada, a taxa de inscrição da Fuvest foi de R$ 160. A fundação afirmou que ainda não recebeu da USP os dados relativos ao vestibular deste ano, por isso, não ainda não sabe qual será o valor.

    Para os candidatos serem contemplados com isenção total da taxa, eles precisam ter renda máxima de R$ 1.405,50 (individual ou per capita). Para obter 50%, os candidatos devem ter renda individual de, no máximo, R$ 1.873,99. Durante esse período, a Fuvest disponibilizará o e-mail isentos@fuvest.br para esclarecer dúvidas.

    O candidato poderá fazer a consulta individual sobre o resultado da isenção a partir do dia 18 de agosto, no site da Fuvest. A isenção não garante automaticamente a inscrição no vestibular, que deve ser feita no período correspondente usando um formulário específico.

    As inscrições vão de 21 de agosto a 11 de setembro e devem ser efetuadas também no site da Fuvest. A primeira fase do exame será realizada dia 26 de novembro (prova de conhecimentos gerais) e a segunda acontecerá nos dias 7, 8 e 9 de janeiro de 2017 (português e redação no 1° dia, história, geografia, matemática, física, química, biologia e inglês no 2° dia e, por último, prova específica de acordo com a carreira escolhida).

    Pela primeira vez desde 1988, a Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa não vai utilizar o vestibular da Fuvest como forma de seleção de candidatos para o curso de medicina. Segundo a fundação, a Santa Casa alegou "necessidades internas da faculdade para o preenchimento de suas vagas no curso de medicina que não poderiam ser atendidas, neste momento, pela Fuvest".

    Em maio, a Fuvest divulgou uma alteração na lista de livros obrigatórios para o vestibular 2018. Saiu a obra "Capitães da Areia", de Jorge Amado, para a entrada de "Minha vida de menina", de Helena Morley. Os demais livros, não foram alterados. Veja lista completa abaixo:

    - "Iracema" ‐ José de Alencar;
    - "Memórias póstumas de Brás Cubas" ‐ Machado de Assis;
    - "O cortiço" ‐ Aluísio Azevedo;
    - "A cidade e as serras" ‐ Eça de Queirós;
    - "Vidas secas" ‐ Graciliano Ramos;
    - "Minha vida de menina" ‐ Helena Morley;
    - "Claro enigma" ‐ Carlos Drummond de Andrade;
    - "Sagarana" ‐ João Guimarães Rosa;
    - "Mayombe" ‐ Pepetela.

    COTAS

    A USP (Universidade de São Paulo) aprovou na última terça-feira (4) o sistema de cotas sociais e raciais já para o vestibular 2018. O sistema será implantado de forma escalonada ao longo de quatro anos.

    Em 2018, 37% das vagas deverão ser destinadas a alunos de escola pública, chegando a 50% em 2021. Dentro dessa cota, deverão ser reservadas vagas para pretos, pardos e indígenas na mesma proporção da presença dessa população verificada pelo IBGE no Estado de São Paulo –hoje, de 37%.

    Chamada página gráfica sobre cotas na USP

    Fale com a Redação - leitor@grupofolha.com.br

    Problemas no aplicativo? - novasplataformas@grupofolha.com.br

    Publicidade

    Folha de S.Paulo 2017