• Equilíbrio e Saúde

    Friday, 24-Nov-2017 05:34:06 BRST
    BBC

    Açúcar causa câncer? Sete mitos sobre a doença

    DA BBC BRASIL

    01/11/2017 14h42

    Getty Images
    Busca por tratamentos online comumente leva à desinformação
    Busca por tratamentos online comumente leva à desinformação

    Pacientes de câncer que recorrem à internet para pesquisar sintomas e tratamentos muitas vezes se deparam com informações erradas, que mais prejudicam do que melhoram sua saúde.

    Com isso em mente, a ONG britânica Macmillan, de combate ao câncer, contratou uma enfermeira especializada para se dedicar a desmentir mitos que ecoam online nesta era de "fake news".

    Ellen McPake explica que a desinformação começa já no consultório: parte dos pacientes saem de suas consultas cheios de dúvidas.

    "Quando o médico fala a palavra câncer, as pessoas bloqueiam e não absorvem informações. Depois, em casa, sentam na frente do computador para buscar online", diz a enfermeira. E na internet acabam encontrando casos extremos ou exageros. "Há muitos mitos online."

    A seguir, alguns dos mitos sobre a doença que se proliferam na internet:

    1. 'Bicarbonato de sódio cura câncer'

    "Há quem acredite que tomar bicarbonato oralmente ou por via intravenosa pode curar o câncer. Não há evidência nenhuma que sustente isso", diz McPake.

    Getty Images
    O açúcar, por si só, não eleva os riscos de câncer, ainda que aumente a obesidade
    O açúcar, por si só, não eleva os riscos de câncer, ainda que aumente a obesidade

    Ela diz receber, no call center da Macmillan, ligações de diversos pacientes que experimentam bicarbonato por achá-lo menos severo que a quimioterapia ou a radioterapia.

    "Para algumas pessoas [o bicarbonato] pode ser bastante perigoso ao afetar os rins dos pacientes", explica.

    2. 'Açúcar causa câncer'

    Ainda que a obesidade esteja ligada ao câncer, o consumo de açúcar por si só não aumenta o risco de tumores.

    "O açúcar não faz o câncer crescer mais rapidamente", diz texto da Clínica Mayo, referência em atendimento médico. "Todas as células, inclusive as cancerígenas, dependem do açúcar do sangue [glicose] para obter energia. Mas dar mais açúcar a células cancerígenas não aumenta a velocidade de seu crescimento."

    McPake já viu pacientes abdicarem do açúcar com base em falsas premissas. "Não há forma de tirar completamente o açúcar da dieta", diz ela.

    Getty Images
    Vitamina C ainda é tema de estudos, mas não é capaz de curar câncer por conta própria
    Vitamina C ainda é tema de estudos, mas não é capaz de curar câncer por conta própria

    3. 'Vitamina C cura câncer'

    "Uma vez, recebi o telefonema de um casal que pagou uma fortuna por um tratamento com vitamina C, em uma clínica que lhes disse que curaria o câncer", conta McPake.

    Mas o dinheiro foi gasto à toa.

    "O homem ficou transtornado. Disse que preferia ter guardado as economias para ter uma melhor qualidade de vida."

    Segundo a Clínica Mayo, apesar da falta de evidências, alguns praticantes da medicina alternativa continuam indicando a vitamina C para pacientes de câncer.

    "Mais recentemente, descobriu-se que a vitamina C ministrada intravenosa tem um efeito diferente da ingerida na forma de comprimido. Isso renovou o interesse da vitamina C no tratamento de câncer", explica o médico Timothy J. Moynihan no site da clínica. "Ainda não há provas de que a vitamina C, por si só, cure câncer. Mas pesquisadores estão estudando quanto a se ela pode aumentar a efetividade de outros tratamentos, como a quimioterapia e a radioterapia."

    Getty Images
    Pacientes que recorrem ao bicarbonato podem colocar seus rins em risco
    Pacientes que recorrem ao bicarbonato podem colocar seus rins em risco

    4. 'Só pessoas mais velhas têm câncer'

    O câncer se torna mais comum com a idade –à medida que as células envelhecem–, mas pode afetar pessoas de todas as idades.

    E, nas últimas décadas, alguns tipos de cânceres cresceram justamente entre as populações mais jovens.

    É o caso do câncer de pele: um estudo de 2013 identificou um grande aumento do melanoma (o mais mortal câncer de pele) entre mulheres jovens, em especial entre as que se submetiam a bronzeamento artificial com frequência.

    A Sociedade Americana de Câncer aponta que cânceres em jovens são muito mais raros do que em idosos, mas os mais comuns são de mama, linfomas, melanomas, sarcomas, tireoide leucemia, entre outros.

    Getty Images
    Mito de que tubarões não têm câncer despertou interesse pela cartilagem do animal
    Mito de que tubarões não têm câncer despertou interesse pela cartilagem do animal

    5. 'Tubarões não têm câncer'

    A falsa ideia de que tubarões são imunes ao câncer leva pacientes a buscar sua cartilagem como um suposto preventivo ou tratamento de tumores.

    Esse mito remonta aos anos 1970, quando pesquisadores na Flórida submeteram tubarões a altos níveis de substâncias cancerígenas e não encontraram evidências de tumores.

    Mas diversos estudos posteriores não identificaram nenhum benefício da cartilagem de tubarões –nem mesmo em roedores.

    E, em 2010, descobriu-se que tubarões podem, sim, desenvolver tumores: uma fêmea do zoo de Indianapolis, nos EUA, foi diagnosticada com um melanoma.

    6. 'Enema de café ajuda a combater câncer'

    Segundo McPake, 'enemas de café' –em que um líquido à base de café é injetado para uma limpeza do reto e dos intestinos– chegaram a ser bastante populares. "Alguns sites divulgavam que [o método] fazia algo no intestino que conseguia curar o câncer", diz ela.

    Macmillan
    Ellen McPake é encarregada de desmentir falsas ideias que circulam sobre o câncer online
    Ellen McPake é encarregada de desmentir falsas ideias que circulam sobre o câncer online

    Mas a ONG Cancer Research UK afirma que "enemas de café já foram ligados a sérias infecções, desidratação, constipação, colite [inflamação do cólon] e perigosos desequilíbrios de eletrólitos e até mesmo a morte".

    7. 'É uma doença moderna'

    "Circula a ideia de que o câncer é uma doença moderna criada pelo homem", diz McPake. "Mas não é: ela foi encontrada até em múmias egípcias."

    Ela se refere a uma múmia de 2,2 mil anos em que foram encontrados indícios de câncer de próstata. E um dedo de 1,7 milhão de anos de um antepassado humano na África do Sul foi diagnosticado com um tipo agressivo de câncer de osso.

    Fale com a Redação - leitor@grupofolha.com.br

    Problemas no aplicativo? - novasplataformas@grupofolha.com.br

    Publicidade

    Folha de S.Paulo 2017