• Ilustrada

    Tuesday, 24-Oct-2017 09:30:34 BRST

    Com programação gratuita em Paraty, festival Mimo homenageia mulheres

    AMANDA NOGUEIRA
    DE SÃO PAULO

    06/10/2017 02h05

    Em seu 14º ano e sua quinta edição em Paraty, o festival Mimo promove uma programação gratuita apenas com mulheres no elenco.

    Entre as atrações, estão a flautista Andrea Ernest Dias e a violonista Elodie Bouny, que dão início ao evento na tarde desta sexta (6), e a cantora portuguesa Teresa Salgueiro, que encerra a edição no domingo (8) à noite.

    Um dos grandes destaques do fim de semana é a malinesa Oumou Sangaré, ícone do wassoulou, estilo musical derivado do folclore do país africano. Cantora e compositora, Sangaré também é reconhecida como ativista pelos direitos das mulheres.

    Além das diferentes nacionalidades, a diversidade se reforça com a inclusão de artistas transexuais. As Bahias e a Cozinha Mineira e Liniker e os Caramelows se apresentam na noite de abertura.

    "Acho que essa seleção se soma ao momento que estamos vivendo, com restrições postas à mesa sobre o papel da mulher e do gênero", diz a produtora Lu Araújo.

    Para ela, o segmento musical ainda é muito masculinizado. "Há poucas mulheres em evidência e elas quase sempre estão vinculadas às suas sexualidades, tendo que usar o corpo, a dança e o 'sex appeal'. Fiquei com vontade de fazer isso sem levantar uma grande bandeira".

    A programação, diz Araújo, é uma "homenagem singela, mas firme" às mulheres do mercado artístico.

    Essencialmente musical, o Mimo ainda inclui workshops, oficinas e sessões de cinema entre as 30 atrações, distribuídas em palcos ao ar livre e igrejas históricas.

    Itinerante, o festival teve início na cidade portuguesa de Amarante e já passou também pelas brasileiras Ouro Preto e Tiradentes. Depois de sua edição em Paraty, seguirá para o Rio de Janeiro e Olinda em novembro.

    Para realizar a programação anual, a organização captou R$ 8 milhões por meio de parcerias com prefeituras de cidades históricas sedes das edições, Lei Rouanet e patrocínio direto de empresas.

    Araújo afirma que o orçamento é apertado, mas suficiente. Em 2015, precisaram cancelar a passagem por Olinda por falta de recursos. "Foi uma medida prudente e conseguimos voltar em 2016".

    *

    MIMO FESTIVAL
    QUANDO de sex. (6) até dom. (8)
    ONDE diversos pontos de Paraty (consultar programação em mimofestival.com/brasil/paraty )
    QUANTO grátis

    Edição impressa

    Fale com a Redação - leitor@grupofolha.com.br

    Problemas no aplicativo? - novasplataformas@grupofolha.com.br

    Publicidade

    Folha de S.Paulo 2017