• Mercado

    Monday, 20-Nov-2017 07:13:47 BRST

    Imposto de Renda

    Antecipar Imposto de Renda só vale a pena para pagar dívida cara

    TÁSSIA KASTNER
    DE SÃO PAULO

    20/03/2017 02h00

    Marcelo Fonseca - 25.fev.2014/Folhapress
    Receita Federal passa a exigir CPF de dependentes com mais de 12 anos
    A antecipação do IR é como um empréstimo com garantia

    Antecipar a restituição do Imposto de Renda é uma boa solução para quem está endividado e precisa trocar uma dívida cara, como o cheque especial (13% ao mês), por outra mais barata (2% ao mês).

    Mas gastar esse dinheiro antes implica abrir mão do que pode ser chamado de um dos mais rentáveis e seguros "investimentos", dizem os planejadores financeiros.

    Enquanto o governo não devolve o imposto cobrado a mais do contribuinte, ele paga uma remuneração baseada na taxa básica de juros (Selic), hoje em 12,25% ao ano.

    A diferença para uma aplicação em Tesouro Selic, título público que também acompanha a taxa básica de juros, é que não há cobrança de taxas de custódia e administração nem de Imposto de Renda sobre o ganho. Por isso, o ganho líquido é maior, ainda que a restituição não seja um investimento oficialmente.

    "É matemática. A pessoa tem que buscar a dívida menor. Mas, se o objetivo é ter o dinheiro para investir, o melhor é esperar o pagamento", diz Luciana Pantaroto, planejadora financeira.

    Assista ao vídeo

    Os grandes bancos já abriram a contratação da linha de antecipação do IR de 2017, com taxas de juros mínimas um pouco mais baixas que as cobradas há um ano (veja quadro). Elas partem de 2% ao mês, mais que o dobro do que o dinheiro rende com a Selic mensalmente (0,96% na taxa atual).

    Além disso, apesar de os bancos divulgarem a taxa mínima, poucos são os clientes que têm acesso ao menor custo. Nem todos os bancos divulgam a taxa máxima cobrado pelo empréstimo nessa linha.

    A antecipação do IR nada mais é que um empréstimo com garantia. Por isso, para contratá-lo, é preciso primeiro entregar a declaração para a Receita Federal e depois pedir o dinheiro ao banco. Só é possível contratar o empréstimo com a instituição que o contribuinte informou ao fisco que receberá a restituição.

    O empréstimo será quitado quando a Receita devolver o dinheiro, o que pode ocorrer de junho a dezembro. Se a declaração do contribuinte cair em malha fina, o banco cobra o empréstimo entre dezembro e janeiro.

    Dinheiro mais cedo - Veja quanto custa antecipar a restituição do IR

    Folhainvest

    Fale com a Redação - leitor@grupofolha.com.br

    Problemas no aplicativo? - novasplataformas@grupofolha.com.br

    Publicidade

    Folha de S.Paulo 2017