• Mercado

    Thursday, 23-Nov-2017 05:28:08 BRST
    Guia da Micro, Pequena e Média Empresas (MPME)

    Dedicar 30% do tempo à inovação é essencial para crescer, diz consultor

    ANNA RANGEL
    DE SÃO PAULO

    22/10/2017 02h00

    Divulgação
    Hitendra Patel, consultor anglo-americano de inovação e professor da Universidade de Toronto
    Hitendra Patel, consultor anglo-americano de inovação e professor da Universidade de Toronto

    Para fazer uma empresa crescer rápido, é preciso dedicar pelo menos 30% do tempo para caçar novas ideias e tendências do mercado. A opinião é do pesquisador Hitendra Patel, 52, professor da Universidade de Toronto, no Canadá.

    "Quem tem problemas para fazer isso passa tempo demais dando atenção a problemas operacionais, que deveriam ser delegados à equipe", afirma Patel, que é consultor de inovação e líder da consultoria IXL Center, na região de Boston (EUA).

    O professor, nascido na Zâmbia de família indiana, é cidadão americano e britânico. Ele sugere que os brasileiros aprendam a lidar com dinheiro.

    Assim, fica mais fácil criar uma estratégia que permita aprimorar o modelo de negócio já com a empresa em pé, mesmo em um mercado com poucos investidores.

    Patel lembra que não se pode esperar sucesso já na primeira tentativa. "É na prática que se entenderá onde cabem melhorias", diz.

    *

    Folha - Como acelerar rápido uma empresa?

    Hitendra Patel - Antes de pensar em crescer, deve-se entender os aspectos que envolvem o dia a dia: gestão de pessoas, contabilidade, folha de pagamento e marketing.

    Aí é possível aprimorar os serviços já oferecidos, considerando o futuro do mercado. Deve-se investir ao menos 30% do tempo para testar ideias e levantar opiniões, reduzindo custos não só dos produtos, mas das tentativas. Cerca de 80% conseguem.

    Os 20% restantes, em geral, têm problemas porque o presidente passa tempo demais apagando incêndios. É compreensível, já que ele precisa manter sua receita para que a empresa sobreviva. Por isso, a equipe precisa conseguir tocar o barco sozinha.

    Quais características são vitais para esse empreendedor?

    Os melhores são bons vendedores. E, para vender uma ideia, é vital ter um objetivo fácil de angariar interesse do público, como alimentar mais pessoas ou melhorar a saúde de uma comunidade.

    Carisma ajuda, mas saber vender é algo que pode ser aprendido. Sem isso, é difícil até conseguir bons parceiros.

    É difícil empreender sozinho. Até Steve Jobs tinha Steve Wozniak. O segredo é cercar-se de pessoas cujas habilidades se complementam.

    Assim, a pessoa não precisará aprender tudo por conta própria, e as coisas andarão mais rápido. É preciso também ter persistência para enfrentar obstáculos, que são normais nesse processo.

    O que os brasileiros podem aprender com empreendedores de países desenvolvidos?

    Os mercados são diferentes. Nos EUA, temos muitas pessoas que deixam faculdades de altíssimo nível e constroem empresas, em geral com capital próprio.

    O empreendedorismo virou moda, e as pessoas não veem que precisam ter dinheiro para isso. Não dá para apostar sem embasamento e estratégia.

    No caso brasileiro, é vital construir um relacionamento com bancos, já que o número de investidores é menor, e o empreendedor precisará das instituições para se financiar. Aqui, destaca-se quem sabe lidar com dinheiro.

    Como montar uma equipe?

    O fator técnico importa, mas o comportamental, neste caso, é mais relevante. Não adianta contar com profissionais de ótimo currículo que desistem no primeiro problema.

    A jornada é difícil, então é vital se cercar de quem soluciona problemas rápido e sozinho. Assim, cria-se uma relação de confiança.

    Como incentivar inovação nas pequenas empresas?

    A vantagem dos pequenos é que a tomada de decisão fica centralizada. Por isso, ele pode implementar ideias e corrigir a rota com facilidade.

    Mas o empresário precisará de uma estratégia de sobrevivência, inclusive financeira, para que consiga aprimorar seu modelo de negócio na prática.

    Vale buscar informações em relatórios de grandes consultorias, divulgados gratuitamente. Mas ele deve entender quais são suas opções antes de tomar decisões.

    Ninguém acerta de primeira, e criar uma empresa é tentativa e erro.

    *

    RAIO-X
    Hitendra Patel

    FORMAÇÃO
    MBA em empreendedorismo e inovação pela Universidade Northwestern e doutor em engenharia pela Universidade Estadual de Iowa, ambas nos EUA

    CARREIRA
    Professor de inovação da Universidade de Toronto, no Canadá. Líder da IXL Center, consultoria de inovação próxima a Boston, nos EUA. Membro da Clinton Global Initiative, centro criado pelo ex-presidente americano Bill Clinton para fomentar soluções inovadoras em empresas e organizações

    Edição impressa

    Fale com a Redação - leitor@grupofolha.com.br

    Problemas no aplicativo? - novasplataformas@grupofolha.com.br

    Publicidade

    Folha de S.Paulo 2017