• Mundo

    Wednesday, 22-Nov-2017 06:58:10 BRST

    Papa Francisco abre caminho para beatificação de João Paulo 1º

    DE SÃO PAULO

    09/11/2017 17h39

    AP
    O papa João Paulo 1º acena para fiéis durante missa no Vaticano
    O papa João Paulo 1º acena para fiéis durante missa no Vaticano

    O papa Francisco reconheceu os "valores heroicos" do papa João Paulo 1º, abrindo caminho para sua beatificação, anunciou nesta quinta-feira (9) o serviço de imprensa do Vaticano.

    Francisco assinou na quarta-feira o decreto que reconheceu Albino Luciani como "venerável" pela Igreja Católica, o primeiro passo para sua beatificação, desde que se reconheça que intercedeu em um milagre.

    João Paulo 1º, conhecido como "o papa do sorriso", foi o último pontífice italiano e um dos mais efêmeros: eleito em agosto de 1978, morreu 33 dias depois após sofrer um infarto aos 65 anos de idade.

    Durante esse período, levou à Santa Sé um estilo mais direto, mas sua simplicidade não agradou à Cúria, o governo do Vaticano.

    Nascido em 17 de outubro de 1912 em Forno di Canale, na Itália, Luciani morreu no dia 28 de setembro de 1978 dentro do Palácio Apostólico.

    Um relatório que incluiu testemunhos e exames médicos descartou que João Paulo 1º tivesse sido envenenado, como se especulou por muitos anos.

    O papa foi encontrado sem vida em sua cama pouco antes do amanhecer, mas o fato de não ter sido realizada uma autópsia, somado a várias declarações contraditórias dadas pelo Vaticano sobre a morte, deram lugar a uma série de teorias de conspiração.

    Além disso, João Paulo 1º havia manifestado o desejo de esclarecer as contas do Banco Vaticano e de aprofundar as reformas iniciadas por João 23, o que alimentou as teorias sobre seu suposto envenenamento.

    A causa de beatificação aberta em 2003 sobre o também chamado "papa de setembro", já que chefiou a igreja praticamente somente durante esse mês de 1978, foi apoiada por Bento 16 e depois por Francisco.

    A extensa documentação, composta por cinco volumes de 3.600 páginas, inclui o testemunho do papa alemão.

    Fale com a Redação - leitor@grupofolha.com.br

    Problemas no aplicativo? - novasplataformas@grupofolha.com.br

    Publicidade

    Folha de S.Paulo 2017