• Poder

    Wednesday, 22-Nov-2017 14:25:13 BRST

    Governador do PT exonera secretários na Bahia e ajuda Temer

    JOÃO PEDRO PITOMBO
    DE SALVADOR

    01/08/2017 20h43

    Pedro Moraes - 26.fev.2017/Governo da Bahia
    O governador da Bahia, Rui Costa, do PT
    O governador da Bahia, Rui Costa, do PT

    O governador da Bahia, Rui Costa (PT), exonerou dois deputados federais que atuam como secretários estaduais em sua gestão para a votação da denúncia contra o presidente Michel Temer (PMDB) nesta quarta-feira (2).

    A decisão fortalece a ala petista que defende que o partido não ensosse o afastamento de Temer. A avaliação é que a manutenção de Temer seria menos ruim do que ter o presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM) na Presidência da República.

    Com a exoneração dos secretários estaduais, voltam para suplência os deputados Davidson Magalhães (PC do B) e Robinson Almeida (PT), que votariam contra Temer. Entram os deputados Fernando Torres (PSD) e Josias Gomes (PT).

    O primeiro informou que vai se abster na votação. O segundo diz que seguirá a decisão da bancada, mas vai defender internamento que os petistas se abstenham de votar.

    "A saída de Temer não significa nenhum avanço. Será pior porque entrará no lugar a outro golpista que comandou a votação de reformas contra os direitos dos trabalhadores. Maia é um jovem de ideias velhas, é ainda mais conservador do que Temer", diz Josias Gomes.

    O petista diz que não vê problemas em Temer seguir na presidência sem ser investigado. "A investigação pode ser feita quando acabar o mandato dele", diz Gomes, para quem a única saída para a crise política seria a antecipação das eleições para a Presidência.

    Ainda há uma avaliação entre os petistas baianos de que o cenário com Rodrigo Maia na Presidência da República beneficiaria o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), provável adversário de Rui Costa em 2018 na disputa pelo governo baiano.

    "Maia na Presidência é o fazer ressurgir o DEM do Nordeste, que é uma direita raivosa que representa o que existe de mais atrasado", diz.

    A Folha apurou que na reunião com os deputados federais e senadores de sua base, Rui Costa não fez uma defesa direta da estratégia pró-Temer. Mas ponderou sobre a possível ascensão de Maia à Presidência.

    Para Costa, Temer teria mais legitimidade para ocupar o cargo de presidente porque foi eleito na chapa de Dilma Rousseff. Já Maia foi eleito deputado federal pela oposição com apenas 53 mil votos.

    O governador ainda liberou os deputados federais dos partidos da sua base que também fazem parte da base de Temer, como PP, PR e PSD, a votar a favor de Temer.

    O movimento é oposto ao que aconteceu no impeachment de Dilma, quando os deputados baianos destes três partidos votaram a favor de Dilma, contra a orientação nacional de suas respectivas bancadas.

    Fale com a Redação - leitor@grupofolha.com.br

    Problemas no aplicativo? - novasplataformas@grupofolha.com.br

    Publicidade

    Folha de S.Paulo 2017