• Tec

    Saturday, 21-Oct-2017 13:43:31 BRST

    campus party

    Novo acelerador de partículas brasileiro deve ficar pronto até 2018

    RICARDO AMPUDIA
    DE SÃO PAULO

    04/02/2017 18h17

    O Brasil está construindo um gigantesco acelerador de partículas, o Sirius, em Campinas (SP), onde fica a sede do Centro Nacional de Pesquisa e Energia de Materiais (Cnpem). Com mais de 500m de diâmetro, a máquina analisa a radiação emitida por luz do tipo síncroton e o projeto é considerado prioritário pelo governo brasileiro.

    "Passaremos a integrar um seleto grupo de nações com instrumental para pesquisa de altíssima tecnologia. Quando estiver pronta, será, por um tempo, a melhor máquina deste tipo no mundo", conta Sérgio Marques, um dos engenheiros responsáveis pelo projeto, que falou sobre o Sirius para o público na Campus Party.

    Com investimentos estimados em R$ 1,8 bilhão, o prédio deve estar concluído em setembro de 2017, quando começa a instalação do acelerador, um desafio de engenharia sem precedentes no país, segundo Moraes. Com aparelhos de precisão nanométrica, até o deslocamento do solo pelo movimento das marés precisa ser previsto no projeto, instalado no interior de São Paulo.

    Para o engenheiro, o projeto já significou um avanço na indústria brasileira, que no começo da construção do Sirius não tinha capacidade de usinar materiais utilizados em equipamentos de alto vácuo -semelhante ao encontrado na Lua. "Não só o projeto já tem como consequência o avanço da indústria brasileira, como o Sirius vai significar avanços na indústria farmacêutica e agrícola".

    Ele cita experimentos que descobriram a carência de zinco no cérebro de pessoas que sofriam de esquizofrenia, realizado com um equipamento semelhante nos EUA.

    Iniciado em 2014, o projeto prevê que o equipamento comece a funcionar com capacidade reduzida, em caráter experimental ainda em 2018. "Estamos no prazo. Em 2019 já estaremos funcionando com força máxima, abertos aos parceiros que tenham capacidade para operar o Sirius", garante Marques.

    Fale com a Redação - leitor@grupofolha.com.br

    Problemas no aplicativo? - novasplataformas@grupofolha.com.br

    Publicidade

    Folha de S.Paulo 2017