Folha de S.Paulo

Após retratar tráfico de drogas, Globo quer abordar abusos contra mulheres


Há quase sete meses, a Globo punha no ar um folhetim com três protagonistas: uma sereia, uma policial e a mulher de um traficante, estas últimas conduzindo o fio central da trama: o tráfico.

A abordagem gerou resposta até do ministro do STF Alexandre de Moraes, que, em palestra na sexta (20), acusou a trama de glamorizar o tráfico —ele repetiu a crítica no Twitter neste domingo (22).

Nesta segunda (23), "A Força do Querer", assinada por Gloria Perez e dirigida por Rogério Gomes, o Papinha, dá lugar a "O Outro Lado do Paraíso", de Walcyr Carrasco e Mauro Mendonça Filho.

Agora, na chamada faixa das nove, o "filé mignon" da emissora, o tema da vez é o abuso contra mulheres.

"Esse assunto estranhamente perdeu prioridade na dramaturgia de televisão", diz Mendonça Filho à Folha. "Não que não tenha sido abordado, mas aqui está no foco principal da trama. Principalmente a violência doméstica."

Na trama, a protagonista Clara (Bianca Bin) é uma jovem que mora com o avô, Josefá (Lima Duarte), no Jalapão (TO). Ela se apaixona por Gael (Sérgio Guizé), um marmanjo que vive de uma herança e é filho de Sophia (Marieta Severo), vilã da história.

De início contra a união dos dois, Sophia muda de ideia ao descobrir que as terras de Clara têm esmeraldas.

No desenrolar da trama, Clara vai apanhar do marido e, com "empurrão" da sogra, vai parar num manicômio.

Além de Clara, dramas de outras mulheres conduzem o folhetim. "Tem uma personagem que é abusada pelo padrasto, uma negra que é subestimada pela cor da pele e se transforma em uma juíza, uma anã rejeitada pela mãe e a mulher que dá porque quer dar", resume Mendonça.

Pela primeira vez uma novela brasileira é ambientada no estado do Tocantins. A ideia é de Carrasco e surgiu durante uma viagem ao local.

"Eu nunca fiz novela assim. Fui entregar um prêmio no Jalapão e me convidaram para conhecer uma ONG que apoiava mulheres vítimas de violência. Ali começou a nascer a trama", diz o autor.

Enquanto parte do núcleo fica no Norte do país, outra se desenrola no Rio, cenário habitual da emissora.

Compõem o elenco nomes como Fernanda Montenegro, que dá vida a uma mística senhora, Glória Pires, no papel de uma ex-prostituta, e Laura Cardoso, dona de um bordel.

"O Outro Lado do Paraíso" estreia um mês após "Big Little Lies" se destacar no Emmy —principal premiação da TV. Como na novela da Globo, a série da HBO também coloca as mulheres como protagonistas da história.

Em uma das subtramas, a ex-advogada interpretada por Nicole Kidman apanha com frequência do marido (Alexander Skarsgard), um executivo bem-sucedido. Os dois atores foram premiados como atriz e ator coadjuvante, respectivamente. No discurso, Nicole lembrou da importância do tema da minissérie.

A jornalista SARAH MOTA RESENDE viajou a convite da Globo.

NA TV
O Outro Lado do Paraíso -
Quando de segunda a sábado, às 21h
Onde Globo