• Ciência

    Sunday, 03-Mar-2024 09:36:34 -03

    Morre aos 82 anos Neil Armstrong, 1º homem a pisar na Lua

    RAFAEL GARCIA
    EM WASHINGTON

    25/08/2012 22h27

    Neil Armstrong, o primeiro homem a pisar a Lua, morreu neste sábado (25) aos 82 anos num hospital em Columbus, Ohio (Estados Unidos). O astronauta estava internado desde o dia 7 de agosto, quando passara uma cirurgia para desobstruir artérias coronárias. Sua morte às 15h45 (hora de Brasília) ocorreu em razão de complicações surgidas na operação.

    Armstrong foi o comandante da missão Apolo 11, que chegou a superfície da Lua em 20 de julho de 1969. Ao colocar os pés em solo lunar, cunhou a célebre frase: "É um pequeno passo para um homem, mas um grande salto para a humanidade".

    Ele nasceu em 5 de agosto de 1930 em Wapakoneta, no Estado de Ohio, Estados Unidos.

    Família diz estar de coração partido com morte de Armstrong
    Em nota, Nasa diz que Armstrong foi "verdadeiro herói americano"
    Buzz Aldrin desejou recuperação rápida a Armstrong após cirurgia
    Veja o pouso da Apollo 11 na Lua
    Confira a capa da Folha do dia 21 de julho de 1969
    Veja galeria de fotos de Neil Armstrong
    Bandeiras dos EUA continuam fincadas na Lua 40 anos depois

    Minutos após a família anunciar a morte em um comunicado público, a imprensa do país foi inundada por homenagens ao astronauta. Armstrong, que morava na periferia de Cincinnati, era um homem relativamente recluso e sempre aceitou com relutância o tratamento de celebridade que lhe era dado em todo lugar que ia.

    "Além de ser um dos maiores exploradores da América, Neil possuía uma graça e uma humildade que era um exemplo para todos nós", afirmou ontem em Washington o astronauta Charles Bolden, administrador da Nasa, a agência espacial dos EUA. "Quando o presidente John Kennedy desafiou a nação a mandar um homem para a Lua [em 1961], Neil Armstrong aceitou sem reservas."

    O comunicado emitido ontem pela família de Neil Armstrong não trazia nenhuma informação sobre velório e enterro do astronauta. "Tanto quanto ele prezava sua privacidade, ele sempre apreciava a expressão de boa vontade por pessoas de todo o mundo e de qualquer status", afirmava o documento. "Neil Armstrong era um herói americano relutante, que sempre acreditou estar apenas fazendo seu trabalho."

    Edwin "Buzz" Aldrin, 82, companheiro de tripulação de Armstrong, disse que o considerava um grande "porta-voz" e um "líder" na defesa do programa espacial. "É, de fato, nós não poderemos mais estar juntos como tripulação no 50º aniversário [da Apolo 11], em 2019", disse Aldrin em depoimento à BBC. "Eu aguardava isso ansiosamente", afirmou o astronauta, que foi o segundo homem a pisar na Lua, após perder uma disputa interna na decisão de quem teria a glória de ser o primeiro.

    Divulgação/Nasa
    Morreu aos 82 anos o astronauta Neil Armstrong, primeiro homem a pisar na lua
    O astronauta Edwin "Buzz" Aldrin em foto tirada por Neil Armstrong na Lua; Armstrong aparece no reflexo do capacete de Buzz

    POLÍTICA E ESPAÇO

    Num momento em que questões orçamentárias sobre o futuro da Nasa estão em discussão na campanha presidencial nos EUA, os dois candidatos fizeram questão de reagir à notícia o mais rápido possível.

    "Neil estava entre os maiores heróis americanos, não apenas deste tempo, mas de todos os tempos", afirmou o presidente Barack Obama em um comunicado. "Sua paixão pelo espaço, pela ciência e pela descoberta, além de sua devoção pela América, vão me inspirar por toda minha vida", declarou Mitt Romney, candidato do Partido Republicano à presidência.

    Armstrong, que costumava aparecer em eventos sobre exploração espacial da Nasa, não era muito engajado na vida política americana. A última vez que foi a um evento público em Washington foi para receber uma medalha do Congresso Americano em 2009. A TV da Nasa passou toda a tarde de ontem reprisando o discurso do astronauta no evento.

    Após deixar a Nasa e o programa Apolo, Armstrong foi lecionar engenharia aeroespacial na Universidade de Cincinnati, onde se aposentou como professor em 1979. ("Eu sempre fui e sempre vou ser um engenheiro 'nerd', do tipo que usa meias brancas e protetor de bolso.")

    No comunicado que transmitiu à imprensa, a família de Armstrong fez um pedido em resposta a questioamentos de admiradores sobre o que fazer para homenagear o astronauta: "na próxima vez que você estiver caminhando ao ar livre em uma noite limpa e vir a lua sorrindo para você, pense em Neil Armstrong e pisque o olho para ele."

    Apollo 11

    Fale com a Redação - leitor@grupofolha.com.br

    Problemas no aplicativo? - novasplataformas@grupofolha.com.br

    Publicidade

    Folha de S.Paulo 2024