• Cotidiano

    Saturday, 28-May-2022 08:03:34 -03

    Donos de construtora adulteram local de morte de servente, tentam subornar policiais e são presos

    JULIANNA GRANJEIA
    colaboração para a Folha

    05/05/2010 20h54

    Os engenheiros proprietários da Honduras Engenharia e Construções Roberto Bussab, 63, e Takao Kageyama, 65, foram presos em flagrante após serem surpreendidos pela Polícia Militar no momento em que adulteravam o local onde um servente de pedreiro de 18 anos morreu na tarde desta quarta-feira, na Mooca, zona leste de São Paulo.

    Motorista tenta subornar guardas e é preso em SP
    Justiça condena Rio a indenizar vítima de bala perdida
    Criminosos queimam dois ônibus no Rio
    Polícia prende dois falsos policiais suspeitos de extorsão

    De acordo com a polícia, José Aparecido Ferreira da Silva trabalhava na construção de um prédio residencial, que estava sob responsabilidade do engenheiro da construtora, quando caiu do 10º andar.

    Após o acidente, na rua Padre Raposo, trabalhadores ligaram para o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), que constatou a morte do servente e acionou a PM, por volta das 15h.

    De acordo com o boletim de ocorrência, ao chegar no prédio os policiais viram Kageyama colocando uma proteção chamada guarda-corpo no local de onde o servente caiu. A PM, então, questionou o empresário sobre o motivo dele mexer no lugar da queda. Em seguida, Kageyama e Bussab ofereceram R$ 10 mil para que os policiais "não vissem que ele estava modificando o local".

    Os policiais marcaram a entrega do dinheiro em frente à 3ª Delegacia sobre Infrações do Meio Ambiente e Relações do Trabalho, no Bom Retiro. No momento da entrega, os dois engenheiros foram presos.

    Até as 21h45, a ocorrência ainda estava em andamento na delegacia. Kageyama e Bussab serão indiciados por corrupção ativa, fraude processual e homicídio culposo (sem intenção de matar). Por terem curso superior, eles foram encaminhados ao 40º DP (Vila Santa Maria).

    Procurado pela reportagem da Folha, o advogado dos engenheiros, que não se identificou, preferiu não se manifestar por ainda não ter elaborado a defesa dos clientes.

    Fale com a Redação - leitor@grupofolha.com.br

    Problemas no aplicativo? - novasplataformas@grupofolha.com.br

    Publicidade

    Folha de S.Paulo 2022