• Cotidiano

    Monday, 23-Nov-2020 21:49:24 -03

    Protesto contra aumento do ônibus termina em confronto no centro de SP

    DE SÃO PAULO

    06/06/2013 19h32

    Manifestantes entraram em confronto com a Polícia Militar na noite desta quinta-feira durante um ato na região central de São Paulo, contra o aumento das tarifas de ônibus, metrô e trem na capital paulista. A avenida Paulista, uma das mais importantes da cidade, foi fechada e liberada apenas por volta das 20h40.

    Os manifestantes se concentraram na praça Ramos, por volta das 18h, e seguiram em passeata, passando pelas avenidas 23 de Maio e Nove de Julho, que chegaram a ser fechadas. Após deixar a Paulista, o grupo também passou pela Brigadeiro Luís Antônio, onde foram dispersados por grupos de policiais de moto, amados com espingardas e munição não letal. Não houve, porém, confronto no local.

    Segundo a Polícia Militar, os manifestantes atearam fogo em caixas de madeira em três pontos da 23 de Maio, quebraram placas de sinalização, invadiram o terminal Bandeira e picharam ônibus. Houve ainda atos de vandalismo contra ao menos uma banca de jornal na avenida Paulista. Parte das bancas foram destruídas e revistas e jornais foram espalhados pela calçada.

    Com isso, a PM afirma ter usado gás lacrimogênio e tiros de bala de borracha para reprimir o protesto, o que provocou correria. A Força Tática esteve no local. Não havia, porém, registros de pessoas feridas ou presas.

    Organizadores disseram que parte dos manifestantes pichou alguns estabelecimentos e ruas durante o protesto, mas argumentou que não era possível controlar toda a multidão. Segundo eles, cerca 6.000 participaram do protesto. Já a PM aponta que eram cerca de 2.000 manifestantes.

    O movimento organizado por estudantes e partidos radicais de esquerda usou baterias, tambores e faixas contra o prefeito Fernando Haddad (PT). Nas mãos, eles empunhavam bandeiras do PCO (Partido da Causa Operária) eles gritavam: "mãos para o alto, R$ 3,20 é um assalto".

    Gabriela Biló/Futura Press/Folhapress
    Grupo faz protesto na região central de São Paulo contra o aumento da passagem de ônibus; imagem mostra o Teatro Municipal
    Grupo faz protesto na região central de São Paulo contra o aumento da passagem de ônibus; imagem mostra o Theatro Municipal

    REAJUSTE

    As passagens dos ônibus, metrô e dos trens da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), que eram R$ 3, foram reajustadas para R$ 3,20 no último domingo (2). O reajuste foi de 6,7%. No caso do ônibus, cujo valor da passagem não era corrigida desde janeiro de 2011, o valor ficou bem abaixo da inflação acumulada no período.

    O IPCA, medido pelo IBGE e base da inflação oficial, acumulou 15,5% desde o último aumento da tarifa. O IPC, da Fipe-USP, 12,8%. Os índices foram calculados até abril --os números de maio não foram fechados.

    No caso do Metrô e dos trens, o último reajuste ocorreu em fevereiro de 2012. Desde então, o IPCA acumulou 7,8%, e o IPC, 5,9%.

    Fale com a Redação - leitor@grupofolha.com.br

    Problemas no aplicativo? - novasplataformas@grupofolha.com.br

    Publicidade

    Folha de S.Paulo 2020