• Cotidiano

    Tuesday, 18-Sep-2018 19:00:39 BRT

    Rio de Janeiro

    Bope terá aula de meditação no Rio bancada por David Lynch

    BRUNA FANTTI
    DO RIO

    21/11/2015 02h00 - Atualizado às 12h03

    Alpino

    Um grupo de policiais do Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais) e do Batalhão de Choque da Polícia Militar do Rio começará na próxima segunda-feira (23) a ter aulas de meditação transcendental para reduzir o estresse da profissão.

    O curso será financiado pela David Lynch Foundation, organização mantida pelo cineasta americano, famoso por filmes como "Veludo Azul" (1986) e "Cidade dos Sonhos" (2001).

    "Queremos acompanhar a aplicação da técnica em 400 policiais. Se for comprovada a diminuição do estresse, o objetivo é expandir esse ensino para a tropa inteira", afirmou à Folha o chefe do Estado Maior da corporação, coronel Robson Rodrigues.

    "Um policial menos estressado possui maior capacidade de tomada de decisão e, em uma operação, faz menos disparos", disse ele.

    As aulas serão coordenadas por Klebér Tani, 54, diretor da Sociedade Internacional de Meditação Transcendental no Rio.

    Tani foi credenciado com o título de "primeiro-ministro do Governo Global da Paz Mundial para o Brasil" por Maharishi Mahesh Yogi (1918-2008), indiano que disseminou a técnica da meditação transcendental nos anos 1960 e 1970 contando com o apoio de celebridades como os Beatles e a atriz Mia Farrow.

    Em sua academia no Leblon, zona sul do Rio, Tani recebe celebridades e políticos, como o ex-governador Sérgio Cabral (PMDB), praticante da modalidade desde que começou a ser investigado na operação Lava Jato.

    "A meditação transcendental consiste em um mergulho na fonte dos pensamentos e um encontro com a paz interior. Mais de 1.400 trabalhos já foram publicados em revistas científicas comprovando seus benefícios", disse o guru, que nesta semana encontra-se meditando em templos incas no Peru.

    Lynch, que diz meditar diariamente, duas vezes por dia, desde 1973, aprendeu de Yogi a técnica em 1977, ano em que lançou seu primeiro filme, o cultuado "Eraserhead".

    Ele criou a fundação em 2005 para "prevenir e erradicar a epidemia de trauma e de estresse tóxico entre populações em risco", segundo o site oficial da entidade.

    Entre os programas da fundação estão o Operation Warrior Wellness (operação pelo bem-estar do guerreiro, em tradução livre). Nele, veteranos de guerras tratam o estresse pós-traumático com a meditação.

    Em entrevista à Folha em 2008, o cineasta afirmou que a meditação "não é religião, não é culto, é uma técnica que permite que você chegue até a felicidade infinita, a inteligência infinita, a criatividade infinita, o amor infinito".

    Essa não é a primeira vez que policiais brasileiros apelam para a paz interior em busca de equilíbrio na profissão. Em maio deste ano, 51 policiais civis do Espírito Santo realizaram aulas de meditação em um mosteiro.

    No Rio, a primeira fase do curso, com palestras, já terminou. "Foi interessante. Vamos ver no que vai dar. Acho que todo tipo de conhecimento é válido", disse, entre risos, o coronel Mauro Andrade, chefe do planejamento operacional da PM e um dos que se voluntariaram para aprender a técnica.

    Nas aulas práticas os policias vão entoar um mantra enquanto meditam. Segundo Tani, na fase mais avançada, as ondas cerebrais dos agentes serão medidas com eletrodos.

    "Quando um grupo grande de pessoas medita junto, a vibração das ondas cerebrais é tão coerente e positiva que é capaz de diminuir os índices de criminalidade de uma cidade", declarou.

    Edição impressa

    Fale com a Redação - leitor@grupofolha.com.br

    Problemas no aplicativo? - novasplataformas@grupofolha.com.br

    Publicidade

    Folha de S.Paulo 2018