• Cotidiano

    Tuesday, 19-Jun-2018 03:33:39 BRT

    Doria dá cargo a filha de vereadora antes de votação sobre privatização

    GUILHERME SETO
    DE SÃO PAULO

    03/10/2017 02h00

    André Bueno - 4.mar.2015/Divulgação/CMSP
    4 março 2015 Câmara Municipal de São Paulo Noemi Nonato Foto Andre´ Bueno CMSP DIREITOS RESERVADOS. NÃO PUBLICAR SEM AUTORIZAÇÃO DO DETENTOR DOS DIREITOS AUTORAIS E DE IMAGEM
    A vereadora Noemi Nonato (direita), na Câmara Municipal de São Paulo, em 2015

    Os dias de votações importantes na Câmara Municipal do programa de privatizações da gestão João Doria (PSDB) coincidiram com um número vultoso de nomeações no "Diário Oficial", o que motivou debates acalorados entre parlamentares. Nesses pacotes de nomeações saltam aos olhos alguns nomes.

    Na véspera da votação decisiva do pacote de privatizações da Prefeitura de São Paulo a gestão João Doria lançou mais de 160 nomeações no "Diário Oficial". Entre os nomeados aparece a filha de uma vereadora.

    Rizia Cavalcante, 26, foi nomeada em 20 de setembro para a função de assessora da Coordenadoria de Saúde e Proteção ao Animal Doméstico da Secretaria da Saúde. Ela é filha da vereadora Noemi Nonato (PR), que faz parte do G17, grupo de vereadores da base que em julho começou a atravancar o andamento dos projetos de lei enviados por Doria.

    No mesmo dia da nomeação, a Câmara discutiria o projeto de lei mais ambicioso do pacote de privatizações de Doria, que inclui parques, Bilhete Único, mercados. Ele foi aprovado com folga no dia seguinte, sendo que um dos votos a favor partiu de Noemi Nonato.

    Também no dia 20, Cássia Travensolo foi nomeada para cargo na secretaria de Desenvolvimento e Assistência Social. Ela era assessora do vereador Ricardo Nunes (PMDB), um dos protagonistas na divergência entre parlamentares e Executivo sobre os mercados municipais.

    'TRANSPARENTE'

    A Folha procurou diversas vezes a vereadora Noemi Nonato, mas não teve retorno.

    À reportagem, o secretário Milton Flávio (Relações Governamentais) disse que o diálogo do governo com os vereadores é "transparente". Segundo Flávio, Rizia é formada em publicidade, o que não estaria em conflito com sua nomeação. "Se não fizer a comunicação adequada, você não atinge os índices desejados. Na saúde, dá para dizer que propaganda é a alma do negócio".

    A prefeitura diz que as nomeações se dão às quartas-feiras (dia em que costumam acontecer votações na Câmara) porque o Comap (conselho de administração) as discute às segundas.

    O vereador Nunes diz que só foi informado da nomeação da ex-assessora no momento da exoneração.

    Edição impressa

    Fale com a Redação - leitor@grupofolha.com.br

    Problemas no aplicativo? - novasplataformas@grupofolha.com.br

    Publicidade

    Folha de S.Paulo 2018