• Esporte

    Sunday, 20-Jan-2019 06:42:02 -02

    Espanha vence Holanda na prorrogação e é campeã da Copa-2010

    DE SÃO PAULO

    11/07/2010 18h02

    Com um gol de Andrés Iniesta aos 11min do segundo tempo da prorrogação, a Espanha venceu a Holanda por 1 a 0, após empate sem gols no tempo regulamentar, neste domingo, no estádio Soccer City, em Johannesburgo, e conquistou o título da Copa do Mundo-2010, na África do Sul.

    O jogo de hoje foi muito faltoso e violento. No total, foram distribuídos 13 cartões amarelos e um vermelho, este para o holandês Heitinga.

    Foi a primeira final na história que não teve a presença de um destes quatro países: Brasil, Argentina, Itália ou Alemanha.

    A Espanha agora entra na galeria dos países que já foram campeões mundiais: Brasil, cinco vezes, Itália, quatro, Alemanha, três, Argentina e Uruguai, com dois, e Inglaterra e França, com uma conquista cada.

    Já a Holanda hoje viu seu terceiro vice-campeonato, após ficar na segunda colocação nas edições de 1974 e 1978.

    A Espanha já havia vencido em 2008 o título da Eurocopa, após bater a Alemanha por 1 a 0, com gol de Fernando Torres.

    O time espanhol havia estreado com derrota a Copa-2010. Em seu primeiro jogo, a equipe do técnico Vicente del Bosque perdeu por 1 a 0, para a Suíça. Mas, depois, venceu Honduras, por 2 a 0, e o Chile, por 2 a 1, se classificando para a segunda fase.

    Nas oitavas, bateu Portugal, por 1 a 0, mesmo placar das vitórias sobre o Paraguai, nas quartas, e em cima da Alemanha, nas semifinais.

    Daniel Ochoa de Olza/AP
    Spain's Andres Iniesta, right, scores a goal past Netherlands goalkeeper Maarten Stekelenburg, left, during the World Cup final soccer match between the Netherlands and Spain at Soccer City in Johannesburg, South Africa, Sunday, July 11, 2010. (AP Photo/Daniel Ochoa de Olza)
    Iniesta chuta cruzado, no fim da prorrogação, para fazer gol do título da Espanha

    O jogo

    A Espanha começou melhor e deu seu cartão de visitas logo nos primeiro minutos. Aos 5min, após cruzamento na área, Sérgio Ramos ganhou disputa com a zaga holandesa e desviou, mas Stekelenburg fez grande defesa. Piqué não aproveitou o rebote e mandou para fora.

    A segunda boa chance veio novamente com o lateral Sérgio Ramos, que fez jogada individual pela direita e chutou cruzado, mas Heitinga salvou na pequena área.

    A primeira etapa foi nervosa e com alguns lances violentos. Cinco cartões amarelos foram distribuídos: Van Persie, Van Bommel e De Jong pela Holanda, e Puyol e Sérgio Ramos pela Espanha. De Jong poderia ser até expulso por levantar o pé no peito do Xabi Alonso, mas ficou só no amarelo. A melhor jogada da Holanda foi um chute de longe defendido por Casillas.

    A segunda etapa começou movimentada. Logo aos 3min, após cobrança de escanteio na área holandesa, Puyol desviou de cabeça e a bola foi no segundo pau para Capdevilla, que furou.

    Quatro minutos depois, Robben recebeu bola, fez sua tradicional jogada, cortou para o meio e chutou, mas Casillas defendeu.

    Mas a melhor chance do jogo foi da Holanda. Aos 16min, Sneijder deu belo lançamento para Robben partir cara a cara com Casillas. Mas o holandês chutou no meio, e o arqueiro espanhol fez ótima intervenção com o pé.

    A Espanha respondeu aos 25min. Navas cruzou da direita, e a bola sobrou para Villa, no segundo pau. Mas seu chute foi desviado pela defesa.

    O jogo continuava faltoso. Van Bronckhorst e Heitinga também tomaram cartão pela Holanda, e Capdevilla pela Espanha.

    O jogo era aberto. Nos dez minutos finais, a Espanha pressionava muito e perdia gols. No contra-ataque, a Holanda quase fez. Aos 38min, novamente Robben invadiu a área, e novamente Casillas fez excelente intervenção.

    A prorrogação continuou com a emoção do tempo normal. Logo aos 2min, Xavi foi calçado dentro da área por Heitinga, mas o árbitro não marcou pênalti. Três minutos depois, Fábregas partiu livre para a área e chutou em cima do goleiro holandês. Um minuto depois, em cobrança de escanteio, Mathijsen subiu livre, mas testou para fora.

    No segundo tempo da prorrogação, Heitinga puxou Iniesta, recebeu seu segundo cartão amarelo e foi expulso. Com um a mais, a Espanha foi pra cima. Restando apenas quatro minutos para o fim, Fábregas lançou Iniesta, que desta vez resolveu chutar. O arremate foi certeiro, cruzado. Foi o gol do título espanhol.

    Fale com a Redação - leitor@grupofolha.com.br

    Problemas no aplicativo? - novasplataformas@grupofolha.com.br

    Publicidade

    Folha de S.Paulo 2019