• Esporte

    Monday, 21-Jun-2021 16:42:57 -03

    Brasil vence EUA de virada e leva o inédito bi olímpico no vôlei feminino

    VINÍCIUS BACELAR
    COLABORAÇÃO PARA FOLHA

    11/08/2012 16h22

    A seleção feminina de vôlei superou as favoritas norte-americanas, de virada, por 3 sets a 1 (11/25, 25/17, 25/20 e 25/17), e conquistou o bicampeonato olímpico inédito, no Earls Court, em Londres, neste sábado.

    A maior pontuadora da decisão foi a ponteira Jaqueline, que anotou 18 pontos.

    Esta foi a primeira vez que um time do Brasil consegue a façanha de ganhar o ouro olímpico duas vezes consecutivas.

    Veja vídeo

    O técnico José Roberto Guimarães se tornou ainda o primeiro brasileiro a levar três ouros em três Olimpíadas diferentes.

    O Brasil só passou para a fase final porque as rivais americanas venceram a Turquia na primeira fase. Pela segunda vez consecutiva, os EUA ficam com a prata.

    O bronze foi para o Japão

    Na comemoração, as atletas viram uma cambalhota coletiva. "A gente joga por amor. Mulher é temperamental e é difícil lidar. O Woody Allen pode fazer um filme nosso, disse a líbero Fabi, uma das jogadoras que estavam em Pequim-2008.

    O JOGO

    O Brasil não entrou em quadra no primeiro set. Deu nove pontos em erros para as americanas. Já os EUA, com 44% de aproveitamento no ataque e três pontos diretos de bloqueio, acabou com a seleção de José Roberto Guimarães. Incríveis: 25 a 11.

    O time brasileiro tentou desesperadamente fugir do bloqueio rival e perdeu vários contra-ataques por causa deste medo. "Ataca no meio delas que a bola vai cair", esbravejou o treinador brasileiro em um dos tempos técnicos. A oposto Hooker foi a maior pontuadora da parcial com seis pontos.

    No segundo set, o Brasil arriscou o serviço na líbero Davis, que errava na recepção. A aposta deu resultado. Além da estratégia no serviço, Jaqueline começou a virar várias bolas na quadra adversária. Maior pontuadora do Brasil até então, a ponteira terminou a segunda parcial com um aproveitamento de 53% no ataque.

    A levantadora Dani Lins passou a variar as jogadas ofensivas, o Brasil errou menos e Sheilla apareceu no duelo. O Brasil empatou o confronto em 1 set a 1: 25 a 17.

    A terceira parcial foi mais equilibrada. O desequilíbrio a favor do Brasil foi o aproveitamento de Jaqueline, que continuou alto na parte ofensiva, e Fê Garay, que voltou a justificar a titularidade conquistada durante os Jogos. O desempenho da atleta na derrota para os EUA, na primeira fase, fez com que José Roberto colocasse a titular Paula Pequeno no banco. Assim, a equipe brasileira virou o jogo: 25 a 20.

    No quarto set, o Brasil conseguiu abrir vantagem no nervosíssimo americano. No ataque de Fê Garay, as brasileiras conquistaram o ouro com uma parcial em 25 a 17.

    Depois de 1h40 de confronto, a seleção foi bicampeã.

    Fale com a Redação - leitor@grupofolha.com.br

    Problemas no aplicativo? - novasplataformas@grupofolha.com.br

    Publicidade

    Folha de S.Paulo 2021