• Esporte

    Friday, 18-Oct-2019 23:12:10 -03

    Lance Armstrong confessa que usava doping, diz agência

    DA ASSOCIATED PRESS

    14/01/2013 22h12

    O ex-cliclista Lance Armstrong, 41, confessou que usava drogas para melhorar seu desempenho enquanto competia.

    A confissão do sete vezes campeão da Volta da França aconteceu na gravação de entrevista à americana Oprah Winfrey, na noite desta segunda-feira, segundo publica a agência Associated Press.

    Associated Press
    Fomontagem com o ex-ciclista Lance Armstrong e a apresentadora Oprah Winfrey
    Fomontagem com o ex-ciclista Lance Armstrong e a apresentadora Oprah Winfrey

    De acordo com a agência de notícias americana, um pessoa ligada à Armstrong contou o que ele disse na entrevista, que vai ao ar apenas na quinta-feira. O nome da fonte não foi revelado. O programa será transmitido pelo canal OWN, de Oprah.

    Após a gravação, Oprah --uma das mais importantes apresentadoras dos Estados Unidos-- escreveu em sua conta no Twitter que a gravação com Armstrong demorou duas horas e meia. "Ele veio pronto", publicou.

    Esta é a primeira vez que o ex-atleta americano fala do assunto desde que foi banido do esporte, no ano passado, e teve seus títulos cassados.

    Na tarde desta segunda, Armstrong já havia pedido desculpas para os funcionários mais próximos de sua fundação Livestrong, antes de quebrar o silêncio publicamente.

    No começo do mês, o jornal "The New York Times" noticiou que Armstrong contou a pessoas próximas e a autoridades antidoping que estava cogitando admitir o uso de substâncias proibidas.

    Segundo o "NYT", Armstrong esperava convencer as autoridades a autorizá-lo a participar de competições que adotam o Código Mundial Antidoping, e das quais o americano está atualmente banido pelo resto da vida.

    Mas Tim Herman, advogado do atleta, disse posteriormente ao jornal "USA Today" que não houve negociações com agências antidoping acerca de tal admissão.

    Armstrong sempre negou veementemente as acusações de doping, e nunca teve resultado positivo num exame.

    Mas em 10 de outubro um relatório da Usada (agência antidoping dos EUA) apontou o envolvimento dele no "mais sofisticado, profissionalizado e bem sucedido programa de dopagem que o esporte já viu", envolvendo esteróides anabolizantes, hormônios do crescimento humano, transfusões de sangue e outras infrações.

    Menos de duas semanas depois, as sete vitórias de Armstrong na Volta da França foram anuladas, e ele foi banido do ciclismo pelo resto da vida, já que a União Internacional do Ciclismo ratificou as sanções da Usada contra ele.

    Em novembro, Armstrong, sobrevivente de um câncer de testículo, renunciou ao cargo de conselheiro da ONG Livestrong, voltada para o combate ao câncer, que ele fundou em 1997.

    Fale com a Redação - leitor@grupofolha.com.br

    Problemas no aplicativo? - novasplataformas@grupofolha.com.br

    Publicidade

    Folha de S.Paulo 2019