• Esporte

    Monday, 23-Nov-2020 22:40:05 -03

    Após 7 anos, estádio dividido pela linha do Equador é reaberto no AP

    DE SÃO PAULO

    15/02/2014 06h58

    Uma metade do gramado corresponde ao hemisfério norte. A outra, ao sul. A linha do meio de campo coincide com a linha do Equador, na latitude zero. Esta folclórica peculiaridade do estádio Zerão, em Macapá, voltará ao futebol neste sábado, após obras de R$ 12,6 milhões.

    Sem jogos desde 2007 e interditado por uma arrastada reforma, ele será reaberto com festa a partir das 17h (18h do horário de Brasília).

    Depois de uma cerimônia, vão se enfrentar ex-jogadores que formam um selecionado carioca e outro amapaense. Uma orquestra de estudantes ainda antecederá o principal evento: o jogo entre a seleção brasileira sub-21e uma com atletas profissionais de clubes locais. Um show do cantor Dudu Nobre encerrará o evento.

    São esperados 13.680 espectadores. Cada ingresso será trocado por dois quilos de alimento não perecível.

    Entre os ex-atletas de Flamengo, Botafogo, Vasco e Fluminense, os nomes mais conhecidos são Cláudio Adão, Jorginho, Maurício, Búfalo Gil, Donizete Pantera, Duílio e Arturzinho.

    O primeiro jogo oficial programado para o estádio é o duelo de volta entre o Santos do Amapá e o Princesa do Solimões, pela Copa Verde, na próxima quarta-feira. Em Manacapuru, o time amazonense venceu por 1 a 0.

    A competição, recém criada pela CBF, reúne 16 clubes dos sete Estados da região Norte, do Distrito Federal, do Mato Grosso, do Mato Grosso do Sul e do Espírito Santo, e dará ao campeão uma vaga na Copa Sul-Americana de 2015.

    O início do Campeonato Amapaense está agendado para 15 de março com oito equipes, sete delas da capital.

    Erich Macias - 9.mar.2011/Folhapress
    O antigo estádio Zerão durante período de interdição
    O antigo estádio Zerão durante a interdição

    Desde 2006, mais de 90% dos jogos do Estadual aconteceram no Glicério Marques, que pertence à prefeitura. A média de público da competição não costuma chegar perto de mil pagantes por jogo.

    Inaugurado em 1990, o estádio Milton Corrêa, conhecido como Zerão, se chamou Ayrton Senna durante alguns meses, em 1994.

    Segunda-feira passada, uma partida entre a Associação de Cronistas e Locutores Esportivos do Amapá e funcionários da construtora responsável pela reforma serviu como teste do gramado, do sistema de som e da iluminação artificial.

    O Zerão era candidato a sediar a preparação de seleções da Copa do Mundo, mas não foi escolhido.

    Fale com a Redação - leitor@grupofolha.com.br

    Problemas no aplicativo? - novasplataformas@grupofolha.com.br

    Publicidade

    Folha de S.Paulo 2020