• Esporte

    Sunday, 09-Dec-2018 19:38:37 -02

    Confederação de automobilismo deu R$ 780 mil a parente de cartola

    EDUARDO RODRIGUES
    PAULO ROBERTO CONDE
    DE SÃO PAULO

    14/02/2017 02h00 - Atualizado às 15h16
    Erramos: esse conteúdo foi alterado

    Arquivo Pessoal
    Cleyton Pinteiro, presidente da CBA, e Nailda Rodrigues aparecem abraçados em foto
    Cleyton Pinteiro, presidente da CBA, e Nailda Rodrigues aparecem abraçados em foto

    A CBA (Confederação Brasileira de Automobilismo) manteve por quatro anos um contrato que garantiu repasses de cerca de R$ 780 mil da entidade para a empresa de uma parente de seu presidente, Cleyton Pinteiro.

    Criada em março de 2011, a Nailda Rodrigues Lima Produção e Promoção de Eventos Desportivos conseguiu já no mesmo ano abocanhar a condição de prestadora de serviços para a confederação nacional –seu nome fantasia era NR Lima Racing.

    Nailda é cunhada de Pinteiro. A sede do estabelecimento ficava em uma casa simples no bairro de Torrões, no Recife, reduto do presidente da confederação.

    Não existe na capital pernambucana nenhum autódromo em funcionamento.

    Do ano de sua fundação até 2015, a NR Lima Racing recebeu mensalmente R$ 14 mil para elaborar eventos para a entidade contratante.

    O pagamento era feito em cheque. A Folha teve acesso a uma cópia, com data de 1º de julho de 2014. Ao longo daquele ano, a CBA desembolsou um total de R$ 168 mil para a empresa de Nailda.

    O cheque, do Bradesco, era relativo a uma conta da CBA no Rio existente desde 1995.

    O conselho fiscal da entidade nunca chegou a fazer objeções ao contato.

    Após pedido da Folha, a CBA não informou se foi aberta licitação para contratar os serviços da NR Lima Racing e nem quais foram as atividades desempenhadas por ela.

    A empresa encerrou suas atividades em 2015, depois de receber 56 pagamentos da entidade esportiva que regula o automobilismo nacional.

    A contratação da NR foi alvo de investigação do Ministério Público em ação de 2013 –a revista "IstoÉ" publicou trechos da acusação em 2014. Posteriormente, o processo foi arquivado.

    Desde 2009 na presidência da CBA, Pinteiro encerrará seu segundo mandato na entidade no dia 17 de março.

    Apoiado por ele, Waldner Bernardo venceu Milton Sperafico na eleição do dia 20 de janeiro, por dez votos a sete –mandato de quatro anos.

    Filiada à FIA (Federação Internacional de Automobilismo), a CBA é responsável por dezenas de competições, entre elas a Stock Car.

    Arquivo Pessoal
    Cópia de cheque de R$ 14 mil obtido pela Folha
    Cópia de cheque de R$ 14 mil obtido pela Folha

    OUTRO LADO

    A Folha procurou o presidente Cleyton Pinteiro no começo do ano e o questionou sobre o valor pago pela CBA à NR Lima Racing. O dirigente preferiu não se pronunciar e avisou que só tomaria partido após as eleições presidenciais de janeiro.

    A reportagem então entrou em contato novamente após a votação que elegeu Waldner Bernardo e, por meio da assessoria de imprensa da entidade, Pinteiro não comentou o assunto novamente.

    O diretor financeiro da CBA, Sérgio Dias, disse que a confederação não poderia dar detalhes sobre a contratação e os serviços prestados pela NR Lima Racing.

    Segundo a entidade, acordos já encerrados são enviados a um arquivo geral, mantido por uma empresa terceirizada. Não houve tempo hábil de reaver os documentos, apesar de o primeiro contato da reportagem com a CBA ter ocorrido há mais de 20 dias.

    Já Nailda Rodrigues não respondeu aos contatos da reportagem, tanto por telefone quanto por mensagens.

    Edição impressa
    [an error occurred while processing this directive]

    Fale com a Redação - leitor@grupofolha.com.br

    Problemas no aplicativo? - novasplataformas@grupofolha.com.br

    Publicidade

    Folha de S.Paulo 2018